Pular para o conteúdo principal

Postagens

O povo terá que ser domado com espetáculos morianos

Por Genaldo de Melo A Res Pública, por Renato Aroeira
O novo governo que assumirá em janeiro ganhou as eleições se utilizando pela primeira vez de táticas militares bem definidas, obedecendo a uma estratégia que agora se descobre bem construída e bem assessorada por agentes externos. Não se sabe se isso poderá a longo prazo politicamente dá certo, porque se entende que a guerra é a extensão da política, e não a política a extensão da guerra. Mas fica bem claro nas primeiras atitudes antes de efetivamente assumir o posto que mudanças substanciais serão as premissas desse novo contexto do chamado populismo de direita de Steve Bannon.
Três pontos centrais compõem o desenho do que será o novo governo, e estão articulados entre si. No plano externo, alinhamento acasalado com os Estados Unidos de Donald Trump, na economia o desmonte de estruturas essenciais do Estado e uma reforma da Previdência muito mais brutal que a de Michel Temer, e na arena interna carta branca para que Sérgio Moro trans…
Postagens recentes

Os professores precisam reagir logo contra a censura

Por Genaldo de Melo Deputados sérios estão conseguindo obstruir a tal Escola Sem Partido dentro da Comissão específica que discute e leva ao Plenário da Câmara dos Deputados tal empreitada perigosa para a educação brasileira.
Mas isso somente não basta, é preciso bem mais do que isso para coibir essa tentativa nefasta de quem não quer uma sociedade livre e formada de cidadãos críticos. É preciso que a própria sociedade comece a reagir.
Talvez quem mais pode formar opinião na sociedade brasileira contra a censura dos nossos educadores/as, sejam os próprios educadores.
E nesse momento já está mais do que na hora da Confederação Nacional do Trabalhadores na Educação (CNTE) convocar uma grande paralisação nacional simbólica contra a proposta da Escola Sem Partido.
E convidar a sociedade civil organizada e o povo para o contraponto, pois a sociedade bem informada vai compreender melhor essa doidice de alguns loucos culturalmente colonizados. Urge...!

A greve dos caminhoneiros surgiu na Câmara de vereadores de Feira de Santana?

Por Genaldo de Melo A sorte de alguns vereadores de Feira de Santana é que a maioria da população não costuma acompanhar as sessões da Casa da Cidadania, bem como na maioria das vezes acompanham apenas programas jornalísticos que mais parecem de assessoramento a alguns vereadores. Essa safra de vereadores que hoje estão em mandatos, com suas raras exceções, parece mais que formam uma casa de produção de programas de humorismo. Tem vereadores que se destacam mais nesse quesito, como é caso do vereador Edvaldo Lima (PP). De tempos em tempos ele protagoniza ou horrores ou cenas do mais puro humorismo brasileiro. A última dele foi ótima! Subiu a tribuna da Casa da Cidadania para cobrar a autoria da última grande greve dos caminhoneiros que paralisou a economia brasileira. Segundo ele quando protagonizou aquela folclórica cena de andar pelas ruas de Feira de Santana de paletó e cavalo, ele influenciou a nível nacional a greve dos caminhoneiros para diminuir o preço dos combustíveis. Pelo menos…

Bolsonaristas estão com fome de cargos

Por Genaldo de Melo Nem bem passaram as eleições e os deputados federais eleitos e reeleitos da Bahia já estão tratando da divisão de cargos no governo federal no Estado. Não querem nem mesmo disfarçar o discurso do próprio Bolsonaro de que não faria nenhuma indicação política dos cargos federais.
Os deputados de partidos que estão aliados com Bolsonaro (PSL) estão animados com a expectativa de cargos importantes, pois eles sabem muito bem que para continuar a fazer a política da continuidade no poder, eles devem abocanhar as estruturas que o Governo tem na Bahia.
Na Bahia a estrutura do Governo Federal conta com cargos importantes, como Codeba, Caixa, Banco do Brasil, Dnit, ANP, INSS, Sebrae, Ibama, Iphan, Chesf, Codevasf, Correios e mais diversas representações de altos escalões dos ministérios e das empresas estatais.
Isso é a Nova Política com Bolsonaro, com novas roupas coloridas, vestidas em pessoas que ainda nem sabem como funciona a máquina pública, mas sabem que nela existe muito…

Tem gente acreditando que os Bolsonaros podem tudo

Por Genaldo de Melo Fossem inteligentes, os filhos de Bolsonaro completariam o desastre que pode ser o governo do pai, que simplesmente se tornou presidente sem acordar com nenhuma força política, apenas com os homens das armas, do neopentecostalismo doentio e do agronegócio.
Lembro inclusive que o "intelectual" vice-presidente, General Mourão, chegou a cogitar a possibilidade do mancebinho Eduardo Bolsonaro ser presidente da Câmara dos Deputados. 
Como Eduardo disse recentemente que naquela casa precisa de um trator, pode até ser que num estado de loucura de seu pai e da turma que o cerca, coloquem isso na pauta.
Seria o cúmulo do cúmulo do absurdo, um pai presidente, um filho comandando o Senado e o outro a Câmara dos Deputados. 
Mas um sujeito aqui, bolsonarista que dá agonia, está me enchendo a paciência com isso, dizendo que nesses próximos meses os brasileiros vão esquecer de tudo, e as forças políticas serão de novo subjugadas sem luta.

A luta política não morre

Por Genaldo de Melo Um amigo de longas datas muito instruído veio me aconselhar a parar de escrever sobre política, porque segundo ele a política já passou. Para ele com a vitória de Bolsonaro, coisas da política agora somente teremos nas eleições de 2020, como se a política fosse somente o período das eleições, e pronto!
Não posso parar de escrever e opinar sobre política, porque ela não acaba nas eleições, pois estas são apenas uma pequena parcela da engrenagem do mundo político. As eleições fazem parte do processo de escolha de quem vai administrar a coisa pública fazendo nada mais nada menos do que política.
É assim que pensa a maioria dos brasileiros em relação à política, poucos participam dela, elegem indivíduos que cometem verdadeiros estelionatos eleitorais, e depois eles mesmos como cidadãos portadores do direito de escolhas através do voto, esquecem em pouco tempo em quem votou. É por isso que na política verdadeiros canalhas aves de rapina se sustentam, porque as pessoas acha…

O dinheiro das comunicações deve ser melhor distribuído no Brasil

Por Genaldo de Melo No Brasil a grande e esmagadora maioria da população não está preparada para opinar sobre determinados assuntos, porque não é educada para pensar, e quando se faz isso não deixam. Em todos os aspectos estamos na grande maioria preparados e manipulados para receber as informações e as opiniões sobre todos os temas em voga na sociedade, já revestido da opinião de alguns poucos que se acham iluminados e não representam os interesses mais difusos da sociedade brasileira. Ou seja, mesmo que tenhamos capacidade de desenvolver raciocínios livres, mesmo assim na grande maioria esbarramos em dois fatores principais.

O primeiro deles é que mesmo que tenhamos opinião formada sobre determinados assuntos, não concordando com o “status quo” da opinião despejada em nossas mentes pelos poucos que tem a capacidade de serem assalariados dos grandes meios de comunicação de massa do país, não temos realmente espaços de mídia para que possamos fazer a contraposição dos temas abordados n…

Na luta política vence quem se organiza

Por Genaldo de Melo A luta política nunca foi uma novidade, pois na verdade é uma necessidade humana. Porém depois de quatro vezes seguidas em que a esquerda ganhou as eleições no Brasil, membros e grupos da direita não mais aceitaram participar do processo democrático pelo instituto do voto, e partiram para um desastroso golpe de Estado.
Nessa disputa ambos os lados, esquerda ou direita, sempre utilizaram dos instrumentos e mecanismos que controlam politicamente. Achar que as disputas existem porque cidadãos e grupos precisam da festa da democracia que são as eleições é um engodo. Todos participam para coordenar as estruturas, as políticas e os recursos do Estado.
A direita sempre utilizou o sistema empresarial e suas organizações para se manter no poder, principalmente via licitações predatórias nos aparelhos públicos. O Estado tal como existe não funciona sem a participação de empresas na implantação das mais diversas políticas, programas e projetos. É por isso que se compra votos e m…

O homem das jabuticabas se perde na palavra

Por Genaldo de Melo Desde o final dos anos oitenta quando passei a gostar das coisas políticas que nunca vi tanta bizarrice, tanta coisa sem nenhum sentido, e tanta gente acreditando como a coisa mais natural do mundo. Bolsonaro não propõe absolutamente nada, apenas esbraveja impropérios, e que deve resolver todos os problemas da sociedade brasileira armando a população e matando bandido.
Mas o seu vice, o general Mourão, esse parece que deu “certinho” com a capitão da reserva que assume o discurso pesado, bem aceito pela população com a marca da superioridade bem informada da sociedade brasileira. Mourão ninguém sabe se é um protótipo de bizarrice política ou mesmo de folclore, pois todas as vezes que abre a garganta demonstra ser pior ainda do que o capitão.
Desde que assumiu a vaga de vice, que Mourão tem soltado suas “jabuticabas” maduras. Já falou que eles são os profissionais da violência, chamou de “mulambada” os países africanos da diplomacia Sul-Sul de Lula, falou que filhos cri…

A dor dos amaldiçoados

Por Genaldo de Melo Ao fazer qualquer pesquisa simples para ver quais foram os maiores erros políticos cometidos no Brasil, não precisa ir muito longe para se descobrir que foi a retirada à força política de bastidores de Dilma Rousseff do poder. O impeachment sem provas jurídicas, mas políticas, não somente foi um erro desses que nenhuma força política na história havia cometido, mas foi também uma maldição para quem pensou que chegaria ao poder sem voto nas urnas.
Foram simplesmente amaldiçoados todos que se envolveram na aventura de retirar o lulismo do poder. Entre os principais que se tornaram amaldiçoados pelo golpe estão Fernando Henrique Cardoso, Aécio Neves, Geraldo Alckmin e Michel Temer.
O ex-presidente FHC, talvez o grande arquiteto secreto de todo esse processo contra o lulismo, tornou-se um personagem kafkiano, que muda de opinião toda semana porque não mais sabe o que fazer para ajudar a consertar o erro político cometido. Tentou emplacar um rebanho de gente que pudesse se…

A estupidez dos mais inteligentes

Por Genaldo de Melo As redes sociais, especialmente o Facebook, estão comprovando que não se pode acreditar que o fascismo como conceito prático da natureza humana deixou de existir, apesar das crenças contrárias por causa da estupidez do hitlerismo no século vinte.
Infelizmente nessas eleições as raízes do fascismo surgiram no Brasil, imitando outras partes do mundo, para ameaçar a democracia e a diversidade de pensamento. Quando não se apresenta projetos políticos claros para resolver os problemas sociais e econômicos, mas se esbraveja impropérios e absurdos, e convence aquela parcela da sociedade que tem como marca a superioridade bem informada, é grande o motivo de preocupação com nosso futuro.
Não podemos, e jamais devemos, conceber um novo tipo de fascismo no Brasil apenas como agressões verbais nas ruas e nas redes sociais contra militantes de esquerda, porque isso ainda pode ser resultado das paixões políticas que surgem em todas as eleições, pois a preocupação maior é com as ati…

Os homens que ninguém quer

Por Genaldo de Melo A barbaridade e a estupidez de governar sem povo, com índices de impopularidade política nunca visto na história da humanidade, têm feito que dois personagens centrais das desordens sociais, políticas e econômicas no Brasil, que pisam nos tapetes luxuosos comprados pela “bela e do lar” dona Marcela com dinheiro do povo, estejam simplesmente desaparecidos do cenário eleitoral brasileiro.
O primeiro é Michel Temer, conhecido por alguns como o “vampirão do Tietê” e para outros como “boca de envelope amassado”. Ele é o único Presidente da República da história a não está presente em nenhum material de campanha dos candidatos nessas eleições. Ele é tão negativo que simplesmente destruiu eleitoralmente o único candidato que todas as forças políticas dos status quo tinham, pois bastou dizer a Alckmin o que ele significava para o atual governo, e pronto...!
O segundo personagem é Carlos Marun, muito conhecido como o pitbull de Eduardo Cunha, e talvez o homem mais fiel aos seu…

A conspiração dos Pazzi, a vingança dos Médicis e o ódio político

Por Genaldo de Melo Recebi mensagem de um amigo militante petista que de forma ainda romântica como nos anos oitenta (quando o partido estava em formação e sonhava com um projeto político para o país, em que a justiça social fosse de fato o foco principal, em detrimento dos interesses particulares de apenas alguns indivíduos e grupos políticos e econômicos, que sempre foram as premissas para o chamado subdesenvolvimento em todos os sentidos de nosso país), em que o mesmo solicita nossa modesta opinião sobre os últimos acontecimentos do país em que o ódio de algumas pessoas parece que tomou conta das ruas do país contra o seu partido e seu maior líder.
Em seu texto ele estupefato observa tudo em que o seu partido, em uma correlação com outras forças políticas, transformou o país numa potência econômica mundial, em que tanto aqueles que são responsáveis pelo desenvolvimento econômico propriamente dito, como aqueles que são a força do trabalho, deram-se literalmente bem na sociedade, não e…

O ataque da máquina da imbecilidade ao povo baiano

Por Genaldo de Melo


A Rede Globo com toda sua qualidade na produção de suas novelas não tem feito outra coisa senão prestar um verdadeiro desserviço à sociedade brasileira, e nesse momento destruindo o que existe de melhor na alma do povo baiano com a sua mais nova superprodução, chamada de “O segundo sol”. É mais uma dessas novelas que provocam grandes audiências da emissora do Jardim Botânico, mas descaradamente não faz outra coisa na verdade senão deseducar novo povo.
A produção mostra baianos matando gente, traficando drogas, mulheres traindo descaradamente com se fosse a coisa mais comum do mundo, gramourização da prostituição, mentiras e armações doentias, violência gratuita ao vivo e a cores, e outras coisas mais que não representam o que o povo baiano de fato é. E ainda tem gente que acha aquilo ali a coisa mais natural do mundo, e outros ainda chamam de lazer, entretenimento e cultura.
Esse lixo cultural oferecido para quem não tem condições de acessar a outros conteúdos televis…

A brincadeira de chocar serpente

Por Genaldo de Melo


A grande prerrogativa de uma democracia é o funcionamento em perfeita ordem de suas instituições, compreendendo que cada uma delas tenha o foco na realidade dos fatos e no seu papel que deve ser desempenhado, e não nos distúrbios que alguns cidadãos que são responsáveis pelas mesmas queiram provocar. Porque então deixa de ser uma democracia para ser outra coisa até mesmo sem nome.
Como no Brasil, depois do golpe parlamentar organizado por notórios corruptos de plantão, sem moral nenhuma para coordenar a perfeita ordem das instituições, parece que tudo se desorganizou totalmente, então tudo pode. Até mesmo um homem apenas, que representa uma força apenas, querer tomar uma decisão que não cabe a ele.
O general Villas Bôa não é dono da verdade, nem o dono da lei e nem o dono do Estado, para dizer que o Exército não aceita a candidatura de Lula, como se sua voz pudesse representar todos os interesses de nossa sociedade. Se o exército não aceita Lula isso não muda nada, p…

A corrupção de determinada parcela do eleitorado brasileiro

Por Genaldo de Melo O grande discurso de todo membro político da direita brasileira é eliminar a corrupção eleitoral no Brasil. Porém o que se ver é que quem mais esbraveja esse discurso é quem mais defende com unhas e dentes os principais corruptos do país, comprovados enfaticamente, mas jamais punidos, pois sempre estão sob o manto sagrado dos interesses das minorias conservadoras que coordenam as principais instituições decisórias do país.
Membros da esquerda nunca se furtaram também ao discurso de que também são contra a corrupção, porém os principais quadros que esbravejam esse discurso acabam por nunca chegar a condição de poder tomar as decisões corretas, porque a própria corrupção como coisa em si os tira desse processo e dessa possibilidade.
Mas de uma coisa todo mundo é consciente, enquanto houver eleitores, e sempre é a maioria, que entendem as eleições como um negócio, jamais a corrupção eleitoral se acabará, pois sempre haverá quem roube dinheiro público para comprar os voto…

O TERMINAL RODOVIÁRIO DE FEIRA DE SANTANA DEVE SERVIR AO POVO DA REGIÃO

Por Genaldo de Melo Tenho acompanhado com bastante atenção a novidade de se retirar a Rodoviária de Feira de Santana da região central da cidade, considerando também que ela pode está defasada e no lugar errado, ou até mesmo com uma infraestrutura ultrapassada para suas necessidades dos novos tempos.
Uma das premissas de quem defende esse deslocamento para a região da Noilde Cerqueira é de que diminuiu muito o número de transeuntes e passageiros daquele lugar, mas não levam em consideração que essa mudança se deu exatamente porque o sistema de transporte também mudou. Não se pode comparar o que foi a rodoviária, e de como ela serviu há alguns anos atrás, com o momento em que vivemos, em que as pessoas passaram a utilizar menos o ônibus como transporte, para usar os famosos “ligeirinhos” e o sistema alternativo de transporte de quase todos os municípios da região.
Concordo com todos os argumentos, não levando em consideração os interesses econômicos que sempre existem por trás de cada tom…

A ingratidão é filha do diabo

Por Genaldo de Melo Um amigo encaminhou-me uma mensagem pedindo minha opinião sobre porque muita gente se esquece do passado e trai descaradamente no mundo político. Por que será que as pessoas que estendemos as mãos são exatamente as pessoas que cometem os maiores desatinos políticos em nome de seus interesses pessoais?
Esse amigo perdeu a eleição no ultimo pleito municipal, devido a ingratidão de antigos inimigos que se tornaram companheiros políticos de momento. Por que tanta gente e mesmo grupos, que da situação de protegidos, na escalada do sucesso, cortam os punhos daqueles que tanto lhe ajudaram a subir? Penso que na política assim como na guerra você não pode estender as mãos, e fazer favores a inimigos políticos ou a mercenários com carapuças de anjo. Mas para exemplificar tal principio contarei pequena história real.
Um dos maiores exemplos da história poucas pessoas conhecem da ingratidão da sorte. Em 28 de setembro de 1918, em plena Primeira Guerra Mundial, o soldado da inf…

Só se combate corrupção com educação

Por Genaldo de Melo Há algum tempo que a narrativa predominante na sociedade brasileira, influenciada principalmente pela nossa imprensa do Jornalismo da Obediência, é de que a corrupção nojenta e endêmica foi criada a partir dos últimos anos por indivíduos que fazem parte de supostas organizações criminosas.
E a cantilena segue como uma das principais verdades absolutas do mundo político, como se a política como coisa em si tenha começado apenas na última década, como se o resto da história devesse ser esquecida, porque foi protagonizada por meros moralistas e religiosos preocupados com o bem-estar do povo, e com a ética em relação às coisas públicas.
E essa dança a partir dessa canção maviosa para os ouvidos segue em frente porque quem menos sabe sobre política e como ela funciona é exatamente quem dela deveria se beneficiar, o povo. Este é despolitizado pela sua própria natureza por ter sempre a memória curta, como pregava Nicollò Maquiavelli.
Desde sempre que personagens do mundo polí…