Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2012

Quem se elege vereador em Feira de Santana?

Por Genaldo de Melo
Com o advento da reta final da campanha eleitoral em Feira de Santana, com os candidatos a vereadores em pleno vapor correndo atrás de votos, o processo começa a ficar mais claro sobre as possibilidades de quem tem chances reais de soltar os fogos da vitória na praça do Fórum na noite do dia 07 de outubro próximo, e sentar em uma das 21 cadeiras existentes na Casa da Cidadania feirense. Em Feira de Santana estão catalogados hoje para participar da festa da democracia com direito ao voto cerca de 373 mil eleitores. Segundo os dados do Tribunal Superior Eleitoral solicitaram requerimento de candidatura 465 cidadãos, sendo que com deferimento da Justiça Eleitoral estão aptos apenas 342 a receberem nas urnas os votos do povo. Segundo a mesma fonte 73 candidatos foram indeferidos ou renunciaram do pleito, e esperando resposta positiva tem ainda 50 candidatos, pois foram indeferidos, mas com direito a recurso jurídico. Registraram até o dia 05 de julho último 08 coligações …

Caso Assange: UK deve respeitar a lei

Por Carlos Alberto Lungarzo - Caros Amigos O jornalista Bergman é ameaçado de demissão do programa 60 minutos, por lançar uma campanha contra o consumo de cigarro. Ele se queixa então com sua esposa, que tenta confortá-lo. Sharon Tiller (personagem de Lindsay Crouse) - Este é um país grande, com imprensa livre. Você pode trabalhar em outro lugar. Lowell Bergman (personagem de Al Pacino, esposo de Sharon) - “Imprensa li­vre?” A imprensa é livre para quem é proprietário dela. Do filme "O Informante" O governo neoliberal do Reino Unido tem deixado no ar uma ameaça que o coloca na linha dos governos fascistas dos anos 30 e de tiranias religiosas como Irã: invadir a embaixada de um país com que mantém relações normais. "A atitude do chanceler William Hague foi ambígua, afirmando por um lado, que se estava cogitando uma solução negociada, mas lembrando, por outro, que existe uma lei britânica que permite invadir uma embaixada" A atitude do chanceler William Hague foi ambígua, a…

Desdém pelos trabalhadores

Por Paul Krugman A esta altura, todo mundo sabe que Mitt Romney, discursando diante de doadores de verbas em Boca Raton, Flórida, descartou quase metade do país -os 47% de norte-americanos que não pagam Imposto de Renda-, declarando que não se preocupa com eles. A esta altura, também, muita gente já sabe que a grande maioria desses 47% não é formada por aproveitadores; o grupo envolve basicamente famílias trabalhadoras que pagam impostos na forma de contribuições sobre seus salários, e idosos e deficientes respondem pela maior parte da porção restante.

Mas eis a questão: será que deveríamos imaginar que Romney e seu partido teriam opinião melhor sobre os 47% se soubessem que a grande maioria deles na verdade é de trabalhadores dedicados que assumiram plena responsabilidade por suas vidas? E a resposta é não.

Pois o fato é que o moderno Partido Republicano não tem grande respeito pelas pessoas que trabalham para os outros, não importa com que lealdade e competência estas façam seu servi…

Julgamento do mensalão no STF pode não valer

Por Luiz Flávio Gomes Consultor Jurídico Muitos brasileiros estão acompanhando e aguardando o final do julgamento do mensalão. Alguns com grande expectativa enquanto outros, como é o caso dos réus e advogados, com enorme ansiedade. Apesar da relevância ética, moral, cultural e política, essa decisão do STF —sem precedentes— vai ser revisada pela Corte Interamericana de Direitos Humanos, com eventual chance de prescrição de todos os crimes, em razão de, pelo menos, dois vícios procedimentais seríssimos que a poderão invalidar fulminantemente. O julgamento do STF, ao ratificar com veemência vários valores republicanos de primeira linhagem —independência judicial, reprovação da corrupção, moralidade pública, desonestidade dos partidos políticos, retidão ética dos agentes públicos, financiamento ilícito de campanhas eleitorais etc.—, já conta com valor histórico suficiente para se dizer insuperável. Do ponto de vista procedimental e do respeito às regras do Estado de Direito, no entanto, o…

Escravidões antigas, pobrezas modernas

Banir a pobreza: um movimento e uma campanha para fazer com que a ONU considere ilegal a condição de grandes massas humanas e para explicar que tudo depende dos sistemas econômicos que produzem exclusão, desigualdade, injustiça. Doze princípios para combater a criação dos novos pobres.

Riccardo Petrella (tradução de Moisés Sbardelotto, do IHU)

Foi feita. No sábado, 8 de setembro, a tradicional "Marcha pela Justiça Agliana-Quarrata", organizada pela Rede Radiè Resch, foi dedicada ao lançamento na Itália da campanha "Banimos a pobreza". Concebida por um coletivo de 24 associações, por iniciativa da Universidade do Bem Comum e da Associação do Mosteiro do Bem Comum, a campanha visa a obter em 2018 (70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos das Nações Unidas) uma resolução da Assembleia Geral da ONU com a qual os Estados declarem ilegais as leis, as instituições e as práticas sociais e coletivas que geram e alimentam os processos de empobrecimento nos v…

Ibope: Haddad ultrapassa Serra

Por Altamiro Borges

Agora a TV Globo não teve como esconder. Pesquisa Ibope, encomendada pela emissora e divulgada hoje no final da tarde, confirma que Fernando Haddad ultrapassou José Serra. O petista subiu dois pontos percentuais desde a última pesquisa, em 13 de setembro, e aparece com 18% das intenções de voto; já o eterno candidato tucano oscilou negativamente dois pontos e agora está com 17%. Esta é a primeira vez que o "insuspeito" instituto aponta o "empate técnico" entre os dois postulantes à prefeitura paulistana.
O Ibope registrou que o "azarão" Celso Russomanno, do PRB, continua na liderança, com 34% dos votos, tendo oscilado negativamente em apenas um ponto. Outro dado importante da pesquisa é sobre rejeição. Neste quesito, Serra segue imbatível. O seu índice cresceu dois pontos e agora bate nos 40% dos eleitores paulistanos que garantem que não votariam nele de jeito nenhum". A taxa de rejeição de Haddad é de 16%; já a de Rus…

A resposta soberana do Brasil contra a arrogância dos EUA

Editorial do VermelhoO Brasil respondeu à altura ao representante de Comércio Exterior do governo dos EUA, Ron Kirk, que enviou ao Itamaraty uma carta impertinente e mal educada criticando as medidas tomadas pelo governo para proteger a economia nacional.

Na carta, os norte-americanos pedem ao Brasil que volte atrás nessa decisão, considerada por eles como "protecionista". Ron Kirk argumentou que as medidas "vão contra os esforços mútuos" de liberalizar o comércio no âmbito mundial, "erodem" as negociações comerciais multilaterais e prejudicariam "significativamente" as exportações dos EUA em áreas "cruciais" da sua pauta de exportações. "Os aumentos de tarifa significativamente restringem o comércio a partir dos níveis atuais e claramente representam medidas protecionistas", escreveu.

Além da crítica às medidas tomadas por um governo cioso da soberania nacional, a carta trouxe algumas ameaças muito claras, falando em “respond…

Aécio “beirou o ridículo”. Bebeu?

Por Altamiro Borges Aécio Neves, o cambaleante presidenciável tucano, faz de tudo para ganhar os holofotes da mídia. Ontem (24), ele visitou Porto Alegre a convite da ex-governadora Yeda Crusius, um exemplo de ética na política. Ele voltou a atacar o “mensalão petista” e aproveitou para criticar a nota assinada por seis partidos em apoio ao ex-presidente Lula e contra a ofensiva golpista no país. Para o senador mineiro, a iniciativa dos presidentes do PT, PMDB, PSB, PCdoB, PDT e PRB “beirou o ridículo”.
Sem bafômetro por perto, Aécio Neves deu uma de inocente. Afirmou que a oposição demotucana não tem interesse em desgastar os partidos governistas e a presidenta Dilma Rousseff com o julgamento do STF e ironizou: “Não há possibilidade de golpe contra um ex-presidente”. Puro e sóbrio, afirmou que o julgamento resultará num “Brasil melhor... Lamentavelmente, para o PT, o que assistimos é um volume muito expressivo de lideranças deste partido envolvidas em algo que o PT sempre n…

O "suicídio petista" em Recife

Por Fábio Jammal, na Rede Brasil Atual:

Beneficiado por uma disputa suicida que fragilizou as principais lideranças petistas na cidade, o governador Eduardo Campos (PSB) caminha para se tornar o grande vitorioso das eleições municipais em Recife, capital de Pernambuco. Seu candidato, o até então desconhecido Geraldo Júlio, está há várias semanas em movimento ascendente e aparece na pesquisa Ibope divulgada hoje (24) com 39% das intenções de voto.
A briga entre os petistas - que pulverizou a Frente Popular da qual Campos fazia parte - serviu também para ressuscitar o PSDB local, que começou a campanha sem muitas pretensões e agora vê seu candidato, Daniel Coelho, alcançar o segundo posto na disputa. De acordo com o Ibope, Coelho subiu de 15% para 24%, trocando de posição com o senador Humberto Costa (PT), que caiu de 25% para 16%. Em quarto aparece Mendonça Filho (DEM), com 4%. A pesquisa ouviu 1.106 eleitores recifenses entre os dias 20 e 22. A margem de erro é de três pont…

América Latina em movimento (I)

O que temos é uma vasta condição de ampliação da exploração em todo continente latina Roberta Traspadini - Brasil de Fato América Latina segue como um território prioritário para a expansão do capital em sua era de barbárie social extrema. Após mais de 500 anos de espoliação, nosso continente ainda possui enormes recursos naturais a serem expropriados e uma população de quase 300 milhões apta a ser superexplorada pelo capital e pronta para consumir mercadorias. Este é o resultado contraditório da histórica luta pela liberdade refugiada, na aparente igualdade burguesa. O desenvolvimento desigual e combinado traz uma análise sobre nossa América em seu movimento permanente de dependência estrutural. Um panorama demográfico social O anuário estatístico 2011 da CEPAL mostra que nossa América está estruturada na seguinte perspectiva: dos quase 597 milhões de pessoas, 277 milhões (163 milhões de homens e 133 milhões de mulheres) compõem o exército formal de trabalhadores aptos a serem explorados p…

A força eleitoral de Lula

Por Najla Passos e Vinicius Mansur, no sítio Carta Maior:

Há apenas dois anos, o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi determinante para eleger Dilma Rousseff sua sucessora. Hoje, entretanto, seu capital político tem se revelado insuficiente para deslanchar as candidaturas petistas e dos partidos aliados. Há poucos dias das eleições municipais, o cenário ainda opaco faz com que cientistas políticos ouvidos por Carta Maior divirjam sobre os motivos do fenômeno.
Há quem ressalte o impacto do julgamento do “mensalão” que, há 50 dias, impõe um desgaste continuado à imagem do PT. E quem atribua essa conta à dinâmica própria dos pleitos municipais. O que ninguém questiona é que, apesar da tentativa da revista de maior circulação no país, a Veja, de tentar envolver o ex-presidente com o escândalo em pauta na mais alta corte brasileira, Lula permanece como o político mais influente do país e, consequentemente, um cabo eleitoral disputadíssimo.

“A influência de Lula …

É preciso vomitar o "sapo barbudo"

Por Roberto Amaral, na CartaCapital:

Quem quiser, no que resta de esquerda brasileira, que construa castelos de areia sobre a ilusão do fim da luta de classes, ou da conciliação dos interesses populares com a burguesia reacionária, rentista, quatrocentona, de nariz arrebitado e cartórios na Avenida Paulista. Nossas ‘elites’ conservadoras têm consciência de classe, mais aguda e mais profundamente que os dirigentes da Força Sindical. A classe dominante (vai a expressão em desuso como homenagem ao sempre saudoso Florestan Fernandes) conhece seus objetivos e sabe escolher os adversários segundo a ‘periculosidade’ que atribui a cada um. Uns são adversários passageiros, ocasionais, outros são inimigos históricos, que cumpre o quanto antes eliminar.
Lula, considere-se ele intimimamente de esquerda ou não, socialista ou não, é, independentemente de sua vontade, esse inimigo fundamental: de extração operária (daí, contrário senso, a boa vontade da classe média com Dilma, pois não vem…