Se não tem competência, não invente desculpas!

Por Genaldo de Melo
Minha foto

Há algum tempo que um discurso ronda as rodas sociais e os meios de comunicação de que temos, e que devemos votar em candidatos a deputado que sejam do nosso município, porque eles deverão ser os baluartes da defesa dos interesses da população local. O discurso é revestido de plena coerência, não obstante na prática os representantes locais terem reiteradas vezes demonstrado incapacidade de encaminhar processos capazes de fato de melhorar as condições de vida da população local.

Pelo seu tamanho, como segundo maior município do Estado da Bahia, Feira de Santana deveria de fato ter representantes locais na Assembléia Legislativa, que além de utilizarem a tribuna daquela casa como bons boquirrotos, pudessem também ser estrategistas políticos para trazerem obras de infraestrutura, programas sociais e outros feitos, necessários ao tamanho de nossa população. Lembrando ainda que somos o segundo maior colégio eleitoral também.

Como os cinco representantes que o município tem no Parlamento baiano não conseguem de fato encaminhar soluções para as demandas latentes do povo feirense, o discurso do voto nativo se torna vazio de significado, bem como soa incoerente.

Utilizar o parlamento para discursos frenéticos não substitui nunca o rádio e não se traduz em soluções para nosso povo! Utilizar o Parlamento para discursar contra o Governo não vale de nada, se você não negocia nenhuma Política Pública para o povo! Utilizar o parlamento para apresentar propostas que somente aparecem em jornais locais, não vai ressuscitar “Inês”, porque essa moça já está morta! Esconder-se atrás de mantos religiosos não serve para nada, porque o Estado é laico! Ser escudo absoluto do Governo, não significa ser a muralha do povo!

E assim caminha a humanidade! Em vez de termos cinco nomes fortes, capazes de imprimir a marca da competência em nosso favor, tem apenas cinco nomes que representam apenas grupos de interesses minoritários da sociedade feirense! Então não tem fundamento o discurso de que temos, e que devemos votar nas pratas da casa.


Então que venham todos, porque deputado para ser competente não precisa apenas ser de Feira de Santana, ele precisa ser estadual como o próprio nome diz “estadual”, mas que olhe para nosso município e veja que aqui vivem mais de 600 mil habitantes, e são cidadãos de diretos, e pronto!

Comentários

  1. O modelo escolhido de fazer política dos homens e mulheres que nos representam seria o distrital, pois como o nome já diz, uma área do estado vota e elege seu representante, podendo melhorar mais ainda se metade dos eleitores e mais um pudesse cassar o eleito que não tem competência de exercer a representação que lhe foi outorgada, pois para alguém receber uma outorga precisa mostrar poder de administrar bem o que lhe foi confiado. Nas redes sociais, os políticos que fazem parte nunca respondem nada e apenas colocam seus posts. Assim fica feio e com certeza não é nada bom para ambas as partes.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A manipulação grosseira da Globo do Dia do Trabalho

ACM Neto pode não ser mais candidato nas próximas eleições na Bahia

Sem Lula cidadãos conscientes continuam preferindo Manuela