Pular para o conteúdo principal

O Jornalismo da Obediência quer ser maior que Jesus Cristo!

Por Genaldo de Melo









Sem titubear e se valendo também da tão decantada liberdade de expressão, infiro como desastrosa, e nas entrelinhas como a mais absoluta falta de respeito, a opinião coordenada dos jornalistas que fazem o chamado Jornalismo da Obediência no Brasil, em relação a avaliação feita por eles a partir da opinião do Papa Francisco sobre o atentado ao Jornal Charlie Hebdo, bem como sobre a liberdade de expressão. Pelo que entendi o Papa Francisco não defendeu a violência como forma de resposta às ofensas que fizeram à religião Islâmica, e do mesmo modo, o mesmo defendeu que a liberdade de expressão deve ter um limite sim. Ninguém tem o direito de ofender ninguém e nem uma religião e ao Deus dos outros.

Mas me parece que os “papas” do Jornalismo da Obediência no Brasil não gostaram da opinião do Papa Francisco, e nesses últimos dias numa falta de respeito com o mesmo, bem como com a própria Igreja Católica, eles se colocaram como se suas opiniões pessoais fossem para os religiosos maiores que a do próprio líder da maior religião do Ocidente. Exageraram Ricardo Noblat, Reinaldo Azevedo, José Roberto Guzzo e  Guilhereme Fiuza., em suas colunas nos chamados jornalões familiares.

Parece que eles acham que o Instituto Millenium está muito acima da Igreja Católica. Parece que acham que o dinheiro que mantém esse Instituto que faz as elites brasileiras pensarem de modo coordenado, e de pensamento único, vale mais para os católicos que a palavra de Francisco. Parece que eles também acham que as famílias Civita e Marinho, e as outras empresas que financiam seu Instituto, são mais importantes que Jesus Cristo e toda a Religião Católica no Ocidente, especialmente no Brasil.

A opinião deles depois que o Papa Francisco externou sua opinião sobre os dois temas centrais que mais se discutem hoje no mundo, foi de extremo mal-gosto e da mais falta de civilidade dos últimos tempos de jornalistas que defendem a chamada liberdade de expressão. A opinião deles vale muito, a dos outros jamais! José Roberto Guzzo, diretor editorial da revista Veja disse que o Papa Francisco viajou na maionese. Ricardo Noblat em seu espaço disse que o Papa pisou na bola e afirmou “duvido que Francisco concorde com a morte como meio de se responder a uma ofensa”. Guilherme Fiuza, do jornal o Globo disse “sua Santidade tem uma espécie de João Santana ao pé do ouvido para soprar-lhe as últimas tendências do mercado” (se Francisco tem um assessor desses, prova-se que ele está certo, porque o João Santana de Dilma Rousseff ajudou ela a vencer todos os bons moços do Instituto Millenium nas últimas eleições).

Porém quem mais exagerou e faltou com respeito com o maior líder religioso da face da terra foi Reinaldo Azevedo quando afirmou “Francisco tem cabeça e postura de cura de aldeia, não de Papa. O jesuíta leu mal São Paulo e não sabe que cítara e flauta têm de soar de modo distinto. Suas opiniões sobre o atentado e a liberdade de expressão são covardes, imprecisas e politiqueiras. Deveria se esconder embaixo da cama com Barack Obama para conversar sobre o nada. Ainda bem que nenhum católico vai tentar me dar mil chibatadas por isso”. Confesso que eu não sabia que o papa foi eleitor de Dilma e do PT no Rio de Janeiro ou em São Paulo! Mas...!

O Papa Francisco disse exatamente o que vai transcrito aqui: “Não se pode ofender, ou fazer guerra, ou assassinar em nome da religião ou em nome de Deus”; “acho que os dois são direitos humanos fundamentais, tanto a liberdade religiosa, como a liberdade de expressão”. Entendi muito bem, pois não tenho resistência à raciocínio, e nem recebo ordens de entidades que se acham maiores que as religiões, especialmente a Igreja Católica, que representa bilhões de seres humanos em todo o Ocidente, que o Papa Francisco não defendeu a morte de quem ofende e nem defendeu a fim da liberdade de expressão. O que ele falou foi que tanto o atentado como as ofensas feitas durante anos, e parece que vai continuar com a religião Islâmica, são fatos a serem pensados e repensados, pois não se deve nem ofender religiões e seus ritos e símbolos, e nem matar em nome da própria religião. 

Os funcionários do Instituto Millenium que mantêm o Jornalismo da Obediência, sustentado pelas grandes famílias donas dos meios de comunicação de massa que não respeitam ninguém, pois comprovado está nas novelas nojentas da Rede Globo de Televisão, e no assassinato literalmente falando de reputações no Brasil, precisam respeitar o representante de bilhões de católicos, representante de Jesus Cristo na terra. Jesus está nas mentes e nos corações dos homens e das mulheres do Ocidente a mais de dois mil anos, enquanto eles com seu Instituto de imoralidade serão esquecidos com o tempo. Pois a verdade, e somente a verdade, é quem liberta e continua para sempre!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …