Pular para o conteúdo principal

PL 4330: um terremoto social à vista



Por Genaldo de Melo
 
É impressionante e vergonhosa a imensa capacidade dos setores mais reacionários e conservadores da sociedade brasileira, com apoio literalmente falando da mídia familiar, em mobilizar o silêncio diante de uma das mais eminentes catástrofes sociais prestes a acontecer em nosso país. Não se trata de apenas um fenômeno social passageiro que será esquecido logo ali adiante, quando eles estão silenciando de forma planejada, o que está para acontecer com a parcela maior da sociedade brasileira. Se aprovado o PL 4330/2004 um terremoto social com catástrofes inimagináveis estará acontecendo atingindo a maioria dos brasileiros, aliás, os trabalhadores brasileiros que são a maioria absoluta nessa nação.

A precarização e a espoliação dos direitos trabalhistas em nosso país em caso de se tornar fato via vontades dos empresários através dos seus funcionários que são deputados e senadores, significará rasgar as páginas da história brasileira, esquecer oitenta anos de consolidação de tudo aquilo que mantém a sociedade brasileira, mesmo com todos os problemas, em harmonia entre trabalhadores/as que são maioria absoluta, e empresários e empreendedores que são absolutamente necessários para o mundo do trabalho, mas minoria. O PL 4330/2004 será um verdadeiro soco no fígado da sociedade brasileira.

Como não se discute, e absolutamente não se discute de forma séria nos espaços formadores de opinião em nosso país, o conceito prático da proposta que os conservadores do Congresso Nacional querem aprovar para agradar os financiadores de campanhas e ganhadores de licitações públicas, a via principal deve ser as ruas com o povo trabalhador tendo compreensão da gravidade do problema que enfrentará caso seja nocauteado covardemente por quem deveria ser representante dos interesses de todos e não apenas de uns poucos, que não concordam com direitos trabalhistas. Se vacilo houver, os nobres deputados e senadores colocarão as espadas afiadas do capital no pescoço do povo!

Sindicalista sozinho não vai conseguir barrar a sanha assassina desses que se acham sozinhos os donos da República brasileira, que acham que em seus escritórios com ar condicionado e planejamento estratégico são quem faz o Brasil crescer. Quem faz o Brasil crescer é o trabalho! São os trabalhadores quem fazem, porque escravos como eles pensam só produzem colônias e engenhos velhos, não uma nação de mãos e cabeças erguidas.

Para colocar o povo nas ruas a estabilidade dos poucos sindicalistas lutadores do povo não pode servir apenas para levantar faixas com dizeres que o povo não entende, porque o PL 4330/2004 não é discutido na mídia brasileira. Para colocar o povo nas ruas para combater a aprovação nefasta dessa Lei, necessário se faz que esses mesmos chamados lutadores do povo vão de porta em porta, de loja em loja, de empresa em empresa, de fábrica em fábrica, e eduque os trabalhadores/as urgentemente sobre o que significa o PL 4330/2004. Não fazendo isso, manifestações com duzentas ou trezentas pessoas fechando ruas e BR’s, somente servirão para alguns com egos do tamanho do mundo oferecerem pomposas entrevistas para programas jornalísticos sensacionalistas.

Ou o povo, propriamente dito, que será de fato o principal prejudicado com esse golpe baixo e mesquinho, vai às ruas para parar literalmente esse país por alguns dias, até os bons de urna do Congresso Nacional alijarem o dito projeto da pauta, ou o povo literalmente ali na frente vai à bancarrota. Pois o PL 4330/2004 é um golpe covarde contra uma nação soberana feita para os muitos e não apenas para os poucos, porém pusilânimes. Ou então o povo vai ter que depender do orgulho de ser derrotado sempre, mas com apoio apenas de três partidos que consolidaram os seus votos nas urnas do Congresso Nacional em primeira votação contra o dito projeto miserável: PT, PCdoB e PSOL.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …