A Câmara dos Deputados pode incendiar daqui a alguns dias

Por Genaldo de Melo

Depois de querer de forma ‘branca’ instituir o parlamentarismo no Brasil, Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, que começou a funcionar como fogo, parece aproximar-se do querosene para se incendiar. O Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou um parecer ao Supremo Tribunal Federal em que defende que há “elementos muitos fortes” para investigar o presidente da Câmara, o senhor Eduardo Cunha (PMDB). Tal peça jurídica, disponibilizada pelo STF na última segunda-feira, foi protocolada em resposta ao pedido do deputado para arquivar a investigação. A decisão sobre a manutenção do inquérito ficará a cargo da Corte, que é o órgão responsável pelo julgamento de autoridades com prerrogativas jurídicas como Cunha. O problema dele é que Alberto Youssef reiterou em seu depoimento, e com determinado detalhamento, que o nobre Deputado era beneficiário de recursos dos esquemas sujos de corrupção tão em voga detalhado com hipérbole como pelas Organizações Globo e parceiros, e que participou de procedimentos estranhos como forma de pressionar o restabelecimento de repasse de valores que haviam sido suspensos, em determinado momento, por Júlio Camargo (outro bom rapaz!). Se qualquer cidadão investigar, mesmo que na internet, a vida e os elementos esotéricos do evangélico Eduardo Cunha, que mais inteligente que os outros deputados tornou-se presidente da Câmara dos Deputados, vai entender sua mudança de posição em relação a muitos assuntos de nossa República, pois agora tem o Ministério do Turismo! Ele está dizendo que é perseguição do Procurador, mas a história pode ser a prova dos nove para ele.

Comentários