Amarraram espiritualmente o povo de Feira de Santana



Por Genaldo de Melo
 
Não importa a cor, a qualidade e o tipo de flores que tenhamos no jardim para oferecer, o que importa mesmo é que elas estejam frescas e lindas para tirarmos fotos para nosso facebook. Não importa a cor da cidade em que moramos, o que importa mesmo é que esteja limpa e bonita para nossos visitamos tirarem suas fotos para suas redes sociais. Mas se formos comparar Feira de Santana a um jardim, necessariamente passaríamos vergonha, perante quem vem no mínimo uma vez apenas visitar nossa Princesa do Sertão.

No centro comercial de nossa Feira de Santana presenciamos diariamente uma verdadeira favela à céu aberto, principalmente naquela rua Marechal e na Sales Barbosa! É como se não tivéssemos vergonha na cara para aceitar chefes de executivos por variadas vezes campeões de votos, mas que não tem o mínimo de capacidade de enxergar as mazelas de nossas infraestruturas municipais. É como se não tivéssemos mesmo memória para esquecer entre junho e outubro de anos eleitorais que os mesmos que ganham, prometem sempre, mas continuam deixando nossa cidade ao acaso.

Recentemente recebemos visita de amigos de Sergipe que não entenderam muito bem como uma cidade do porte de Feira de Santana, famosa pelo Brasil afora como cidade totalmente comercial, tenha tanta sujeira nas ruas e desorganização bem no centro comercial. É de se estarrecer o que vemos em nosso município, mas não podemos fazer muita coisa, porque quem tem a responsabilidade de olhar por nossa cidade são verdadeiros incompetentes e não capazes de cumprir a missão delegada nas urnas pelo povo feirense.

Por incrível que pareça em nossa cidade não temos vereadores, mas apenas empregados do chefe do executivo municipal, que delega funções aos mesmos na Câmara de Vereadores, com raras e raríssimas exceções. Até porque quem tenta ser diferente naquela Casa da Cidadania acaba por se encantar com a mosca azul do Paço Municipal, coordenado por gente que necessariamente tem comprovado que não tem o mínimo de compromisso com o povo desta que é segunda maior cidade da Bahia, e maior entroncamento rodoviário do país.

A dinâmica de fronteira não pode explicar a incapacidade de resolver os problemas municipais, principalmente em relação aquela favela que é nosso centro comercial, visitado por muita gente desse país inteiro. Na realidade Feira de Santana de Santana tem uns bruxos que apaixonaram o povo, enfeitiçaram de fato o povo, mas que governam como se o município que deveria ser para todos tivesse apenas uns poucos donos, que mantém o povo como se fossem animais amarrados espiritualmente.

Comentários