Deputada que defendeu genocídio de mães palestinas assume Ministério da Justiça no Governo de Israel

Por Genaldo de Melo
logo_TM2
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, designou a deputada do partido Casa Judaica, Ayelet Shaked, como nova ministra de Justiça, após negociações com os partidos que compõem a coalizão governamental. Shaked, 39 anos, adquiriu notoriedade na política israelense em 2014, em meio às tensões entre seu país e a Palestina. Na ocasião, pediu que Israel assassinasse todas as mães palestinas que davam à luz “pequenas serpentes”. “O povo palestino declarou guerra a Israel, e só se pode responder a isso com guerra. São nossos inimigos e nossas mãos deveriam estar manchadas com seu sangue. Isto se aplica igualmente às mães dos terroristas mortos”, assinalou a então parlamentar. Os pensamentos radicais da nova ministra da Justiça levaram o atual presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogán, a comparar sua visão política com a de Adolf Hitler. A designação causou mal estar entre os ativistas israelenses da oposição: “Dar a Ayelet Shaked a pasta da Justiça é como dar a um piromaníaco a responsabilidade pelos serviços de bombeiros e resgate”, disse Najman Shai, legislador do parlamento israelense, segundo o portal da HispanTV. Depois de conhecer a conformação do novo gabinete o chefe-negociador palestino assegurou que a equipe do governo formada por Netanyahu atenta contra a paz na Palestina e a nomeação dificulta as relações entre os dois países. (Com informações da Revista Fórum)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ACM Neto pode não ser mais candidato nas próximas eleições na Bahia

A Globo agora anuncia a incrível piada de início de ano com Luciano Huck e Angélica

O Pitbull de Eduardo Cunha finalmente levou uma mordida