Milagrosamente descobriram qual o cheiro de Jesus Cristo



Por Genaldo de Melo
cruz vermelha

Discutir temas religiosos torna-se muito difícil quando despido de qualquer preconceito, ou mesmo isento de quaisquer aspectos religiosos, dado a difusão e heterogeneidade de religiões e templos chamados de sagrados, e em nome de Cristo, existentes pelo Brasil afora. Porém talvez seja muito mais perigoso o silêncio que permeia em determinadas vozes que discutem e estudam os temas religiosos, bem como desenvolvem pesquisas acadêmicas sobre o tema. Mas para os mais incultos também não deixa de ser meramente fácil ficar calado diante de tantos absurdos que se cometem e se criam e nome da religião e em nome da sagrada necessidade que maior parcela dos homens e das mulheres tem de viver em nome de Deus.

Para Tolstoi que compreendeu a religião  em idade bastante avançada, mas o bastante para produzir obras primas da filosofia mundial, a religião é uma necessidade para a existência do homem em si, pois sem a noção e a prática da mesma talvez metade da humanidade já tivesse estourado os miolos com uma bala. O que fica mesmo sem compreensão plausível é que no Brasil as religiões em sua grande maioria deixaram a preocupação de serem o caminho da redenção espiritual, o caminho da noção de salvação eterna da alma humana, para se constituírem literalmente em processos de arrecadação econômica. Muitos indivíduos e grupos denominados de religiosos em nome de Cristo não estão criando templos religiosos, bem como doutrinas religiosas, estão simplesmente criando empreendimentos econômicos em nome do mesmo.

Recentemente escandalizou nossa sociedade um novo fato dessa natureza que para quem tem um pouco de juízo compreenderá que em nome da necessidade de Deus pode ser perigoso ali na frente o que estão fazendo alguns espertos, que compreenderam a fraqueza humana em nome de sua pequenez capacidade de explicar a si mesmo, e recorrem necessariamente a busca espiritual para fazer isso. Por mais absurdo que seja, mesmo assim sabemos de antemão que poderá virar prosetilismo porque parcela de seguidores de quem criou esse absurdo cegamente acreditará nessa criação ridícula.

A Bispa como se denomina Sônia Hernandez, fundadora e dona da Igreja Renascer em Cristo, descobriu recentemente que Jesus Cristo tem cheiro, e logo como boa empreendedora para arrecadar mais uns trocados dos seus fiéis, exatamente daqueles que seguem  cegamente seus “bons’ sermões, criou uma linha especial de cosméticos com o próprio cheiro de Jesus. Cada kit lançada por ela custa a bagatela de R$ 79,00, e vem com um perfume, um creme hidratante e sabonete líquido. Segundo a filha dela os produtos foram testados nelas mesmos e podem ser adquiridos nos templos e em lojas especializadas. Segundo a Bispa a linha de produtos vem da benção da ceia oficial de sementes que nem lembrava que havia semeados.

Deveras é mesmo difícil discutir determinados aspectos religiosos, ou mesmo discutir religiosidade de determinadas religiões, despido de preconceito quando se ver quantas criações ridículas em nome de Cristo estão aparecendo, a ainda ver que muitos homens e mulheres de bem nesse país, que pela necessidade da própria religião para não culminar no discurso de que Tolstoi falou, acabam por se enfeitiçar e se apaixonar propriamente dito. Se essa moda pegar daqui uns dias teremos grande parcela da população andando nas ruas cheirando a Cristo e evangelizando os povos com o perfume de Cristo!

E a boa Bispa ainda disse que vem por aí a linha especial para homens formada pelo Kit do Estevam! Pelo amor de Deus, amigos!

Comentários