Oportunidades de trabalho em portal oficial, trabalhadores consultam vagas no mercado sem sair de casa



Por Genaldo de Melo
 “Todo mundo tinha me dito que ia demorar bastante, mas eu cheguei aqui e foi muito rápido", diz a estudante Letícia, a primeira a tirar a Carteira de Trabalho Digital em Brasília. Foto: Iano Andrade - Gabinete Digital/PR.
Já passa de 213 mil o número de trabalhadores que conseguiram uma recolocação profissional por meio do Portal Mais Emprego, do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE). Lançado em abril, o site é uma ferramenta que organiza vagas de empresas para profissionais ociosos ou a procura de novas oportunidades. Desde o início do ano, 700 mil vagas de emprego foram colocadas à disposição. O Portal Mais Emprego permite que o próprio cidadão pesquise e se candidate às vagas existentes no Sistema Nacional de Emprego (Sine) em todo país sem precisar sair de casa. No site, as vagas são informadas pelos empregadores semanalmente ao MTE. Depois de realizado o cadastro na página, o trabalhador pode consultar pela internet o local e o tipo da vaga de seu interesse. Em depoimento ao Portal Brasil, Márcio Borges, diretor de emprego e salário do MTE, explicou que o objetivo do aplicativo é modernizar o processo e aproximar trabalhadores e empregadores. “Nós temos atualmente cerca de 77 mil vagas disponíveis”, adianta. “O processo dispensa o deslocamento do trabalhador ao Sine e permite que empregadores verifiquem se existem trabalhadores para convocação”, completa. “Pelo processo de autointermediação”, observa Márcio, já foi possível realizar cerca de 88 mil encaminhamentos. Nós temos números interessantes: no estado do Paraná, existem 43 mil vagas disponíveis; São Paulo aparece com 35 mil; o estado do Ceará tem 24 mil vagas acessíveis; a Bahia tem 22 mil vagas; e Minas, 13 mil”, elenca. Entre as ocupações que mais demandam trabalhadores atualmente, estão funções do setor de comércio e serviços. “Eu posso citar operador de telemarketing, faxineiro, atendente de lanchonete, operador de caixa, servente de obras, auxiliar de alimentação, auxiliar de escritório...”, conclui. Para se inscrever no Portal Mais Emprego e acessar o serviço, o trabalhador precisa ter, no mínimo, 14 anos de idade, informar o e-mail e o PIS/Pasep, o NIS/NIT, o CPF, o Registro Civil e a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). O sistema, disponível no site ou por meio do MTE, também oferece informações sobre o andamento do seguro-desemprego, oportunidades de qualificação profissional e abono salarial. Entre as vantagens para o empregador, está o Seguro-Desemprego Web, a opção de disponibilizar vagas e demandas por cursos profissionalizantes, e a possibilidade de repassar os dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged). Segundo Márcio Borges, o portal já possui mais de cinco milhões de pessoas cadastradas no banco de dados.

Comentários