Para Tereza Cruvinel a política em si está atrapalhando a indicação de Dilma de Fachin para o STF

 Por Genaldo de Melo
 A segunda tentativa de Luiz Edson Fachin (Foto: Wenderson Araújo)
Nunca um nome indicado pelo ocupante da Presidência da República para integrar o STF despertou tanto interesse, tantos movimentos contrários e a favor como o do jurista Luiz Edson Fachin; a afirmação é da colunista Tereza Cruvinel, em postagem desta segunda (11) em seu blog no 247; para ela, a "grande celeuma em torno da indicação de um nome para compor o STF é um sinal dos tempos que vivemos, em que todas as iniciativas, independentemente do mérito, são usadas como munição na guerra política para debilitar a presidente da República"; a jornalista pondera que 'indicar ministros do STF é uma das prerrogativas da presidente, eleita pelo povo, enquanto sabatinar o indicado e aprovar ou rejeitar seu nome são atribuições dos senadores, também eleitos pelo povo"; "Mas agora, como se estivéssemos numa radical democracia direta, na ágora de Atenas, temos esta insurgência contra a escolha de Fachin", frisa. (com Tereza Cruvinel)

Comentários