A história é a prova dos nove

Por Genaldo de Melo

 
 
Mais de uma vez, aliás por diversas vezes, comentamos que esse senhor presidente da Câmara dos Deputados não era bom moço, pelas diversas razões objetivas que quem não tem resistência aos raciocínios lógicos sabe muito bem do que estamos falando. Objetivamente, sabemos que há muitos anos que esse senhor vem sendo investigado pelos mais diversos motivos não religiosos, e muita gente que tem memória curta esquece, e outros até mesmo não querem se lembrar, porque acham que projetos de poder no Brasil devem servir apenas para uma pequena minoria conservadora e endinheirada.


Reiteradas vezes falamos sobre esse assunto que aborrece mesmo, porque todo mundo com o mínimo de raciocínio líquido, ou mesmo com idéias preconcebidas na cabeça sabe muito bem que ele representa interesses de grupos de interesses, e não o povo brasileiro como um todo, e incomodamos os poucos que além de não conseguirem estabelecer diálogo ou mesmo participar de um debate decente, atacam e reiteradamente atacam, numa força cega e sem direção exata.


Reiteradas vezes defendemos a tese de que precisamos educar politicamente uma parcela da população brasileira para que não tenhamos na frente “robopatas”, que não pensam, e que caminham o caminho dos outros, principalmente o caminho regado à migalha do dinheiro do próprio povo brasileiro. E para acreditar em falsos líderes pouca coisa basta, ou seja, apenas o silêncio da minoria que deveria educar em vez de calar.


Mas é preciso compreender que parcela do povo não pensa, apenas repete o que pequena minoria conservadora pensa, até porque não tem mesmo tempo para pensar, porque precisa ganhar um salário mínimo de miséria para manter o mínimo de sobrevivência. É preciso também compreender que parcela do povo não forma opinião, recebe os restos da literatura jornalística do Jornalismo da Obediência, doente e inexato como as bombas que não existiram na Guerra Fria.


Desde sempre esse moço que assumiu a presidência da Câmara dos Deputados recentemente, prova que não está interessado em responder aos interesses das maiorias, mas apenas das minorias que encheram com mais de seis milhões de reais os cofres de sua campanha de deputado federal no ultimo outubro da vida. Basta uma vista de olhar em sua história em qualquer site de busca para ver que ele não representa nada daquilo que deve dizer para seus eleitores, principalmente evangélicos, que enganados que são politicamente falando, ainda acham que ele representa o que de melhor existe para defender os valores cristãos na Câmara do Deputados.


Qual nada! Sua história está recheada de sombrias, nebulosas e estapafúrdias engrenagens, utilizando-se do santo nome de Jesus, em defesa de seus cofres particulares, bem como daqueles que de forma também estranha acabam por segui-los como se líder o mesmo fosse. Desde o famoso PC Farias que derrubou Fernando Collor de Melo da Presidência da República que esse bom moço vem sendo ator das peças hobbianas .


Como agora que seu castelo começou a cair, virou oposição como se tivesse limitação em todos os brasileiros para não compreender que o mesmo maquiavelicamente nunca foi situação, mas sempre, e como sempre, situação apenas de seus interesses particulares. Mas como a história é sempre como a prova dos nove, veremos o que deverá acontecer daqui prá frente. A não ser que a velha e boa Rede Globo queira tê-lo como guarda-chuva para defender uma nação para apenas 10% da população. Mas cinco milhões de reais não é pouca coisa para fazer o povo calar e esquecer dos fatos!
 

Comentários