Acareação vai colocar Eduardo Cunha frente a frente com seu delator

Por Genaldo de Melo
 Resultado de imagem para fotos de espadas em disputas
Após o recesso parlamentar, em agosto, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), poderá ficar frente a frente com o seu delator. Isso porque a deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA) protocolou nesta segunda-feira (20), na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, um pedido de acareação entre Cunha e o ex-consultor da Toyo Setal, Júlio Camargo. Em delação premiada pela operação Lava Jato na semana passada, Camargo – que é acusado de ter participado do esquema de corrupção na Petrobras – afirmou que o presidente da Câmara o pressionou a pagar uma propina de US$ 5 milhões para viabilizar obras de navios-sonda da estatal. O peemedebista, por sua vez, acusou o governo federal de articular sua incriminação junto à Justiça e, como forma de retaliação, anunciou o rompimento com o Palácio do Planalto no dia seguinte. “A confrontação de versões entre o empresário e o presidente da Câmara, na CPI, é necessária, já que Eduardo Cunha coloca em xeque a delação de quem o acusa. A comissão parlamentar precisa avançar neste sentido e, em consonância com as atividades do Judiciário, até porque não pode proteger este ou aquele personagem político”, justificou a deputada que fez o pedido de acareação. O requerimento será analisado pela CPI em agosto.

Comentários