Deputada Keiko Ota tenta justificar violência contra a mulher

Por Genaldo de Melo
 Save the date! Congresso Nacional vota redução da maioridade penal
A deputada federal Keiko Ota (PSB-SP), vice-presidente da Comissão Mista de Combate à Violência contra a Mulher, teria afirmado que agressão de homens contra mulheres é uma questão natural. A declaração foi feita em uma conversa com a também deputada Luizianne Lins (PT-CE), relatora da Comissão, e a reportagem do site Brasil Post. Segundo matéria do portal, Ota explicou que está lendo um livro sobre as diferenças entre os sexos. “Se os dois fazem a mesma função, não dá certo. Briga e leva até a morte”, disse. “A mulher tem uma característica toda arredondada. Pode ver: os seios, o quadril, de envolver. O homem é todo rígido, força, razão, entendeu? Quando eles se casam e a mulher quer fazer o mesmo papel que ele, entra em conflito.” A parlamentar foi questionada por Lins, que lhe perguntou qual seria esse papel.  “Papel… Tem mulher que levanta a voz e fala, fala. O homem, por natureza, não gosta disso aí”. Novamente, a petista lhe interrompeu: Não pode esperar da gente baixar a voz para não apanhar”, disparou. “Se não deu certo, cada uma para um canto, não tem que matar. Mas se sair com raiva e ódio, ele vai e mata”, finalizou Ota.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Lava Jato pode apresentar a lista de santos que o Brasil deve votar em 2018

Assaltantes estão causando terror no Distrito de Maria Quitéria