Em Feira de Santana faltam vereadores, sobram brigões!

Por Genaldo de Melo
 Resultado de imagem para foto do brasão da Câmara de vereadores de feira de santana


Um amigo de Feira de Santana numa mensagem eletrônica pergunta por que raramente comento sobre a Câmara de Vereadores do município. Realmente raras vezes comentei sobre nossa chamada Casa da Cidadania feirense. Poucas vezes fiz isso, porque de fato faltam assuntos que interessem de fato aos nossos leitores.

Confesso de que raras vezes fui àquela Casa assistir sessões plenárias. Mas das vezes que fui fiquei literalmente escandalizado com o nível de debate tacirtuno e pequeno dos nobres edís. Pouco se debate a cidade naquela Casa, e todo mundo que acompanha política ou jornalisticamente a mesma sabe muito bem disso.

Os vereadores de Feira de Santana terminam o primeiro semestre com a imagem simbólica da intriga entre eles mesmos como sempre acontece. Da mesma forma, fica a imagem de que eles mesmos parecem que não enxergam que são parlamentares e não simples funcionários do Executivo, com raras exceções. Pois se entende que eles deveriam ser funcionários do povo, já que foram os vencedores do concurso eleitoral de outubro de 2012.

Mas qual nada! Assistir uma sessão na Câmara de Vereadores é um verdadeiro tédio, e um teste ao nosso raciocínio. Parece que os vereadores estão em função do ringue da liderança política maior que defende, e não em função do povo. É horrível assistir uma sessão na Casa da Cidadania, porque praticamente não existe debate, mas sim os eternos “bate bocas” entre os próprios governistas para defenderem o “chefe”, ou então com a oposição, que também que vive em função de defender outro “chefe”.

E quase todos eles não propõem nada, talvez com receio, porque 2016 está batendo às portas e podem perder espaço de quem financia campanhas eleitorais no município. Em sua grande maioria somente propõem títulos de cidadania e títulos de utilidade pública. Pelo que vimos, ouvimos e lemos esse foi o escopo da Casa no primeiro semestre.

Pelo visto em Feira de Santana quem é feliz é aquele que espera 2016 com a garantia da vitória calado, e infeliz mesmo politicamente é o povo que não sabe jogar xadrez!

Comentários