Pular para o conteúdo principal

Enquanto a imprensa se cala, o Presidente da Câmara dos Deputados estrupa a Constituição Federal

Por Genaldo de Melo
 Resultado de imagem para imagens e símbolos da mentira e da farsa


Para quem não consegue compreender como funciona o parlamento brasileiro, sua opinião sobre ele é formada a partir das informações repassadas pelos grandes jornalões, pela Rede Globo e pelas emissoras sem compromisso com a pluralidade e diversidade, e pelas revistas das famílias que detém o poder e as condições financeiras e materiais de investigar jornalisticamente os fatos para que os outros formadores de opinião apenas repitam como papagaios que são, com raras exceções é lógico. 

E de fato estão literalmente distorcendo fatos e não contando como está funcionando aquela Casa que deveria ser plural, mas com o abrir das urnas do último outubro tornou-se quase que totalmente conservadora. O presidente Eduardo Cunha (PMDB), presidente da Câmara dos Deputados, evangélico de linha pentecostalista entrou numa guerra, literalmente falando, contra tudo e contra todos que não concordem com suas opiniões, e essa mídia reacionária e conservadora não diz isso para o povo. Fica calada em relação aos desmandos que vem acontecendo na Câmara dos Deputados, e repetindo de forma goebbelsiana o tempo todo somente notícias da Lava Jato, e outras notícias que o povo já conhece e sabe de antemão a mais de quatro meses.

Eduardo Cunha (PMDB) está aprovando todas as matérias que ele acha que deve ser da forma que ele pensa, mesmo que com isso prejudique a sociedade brasileira. Tudo aquilo que algum deputado ou grupo de deputados alinhados com o PT defende ele é contra e com suas “pedaladas regimentais” consegue aprovar, rasgando assim literalmente a Constituição Brasileira, e a mídia em vez de contar, celebra junto. Na última semana aconteceu a última das suas “pedaladas”, quando não conseguiu aprovar em primeira votação o Projeto de Lei da Maioridade Penal, rasgou a Constituição e aprovou em segunda votação “milagrosamente”. E a mídia calou sobre o ato criminoso contra nossa Constituição!

A Constituição é clara, quando uma matéria não é aprovada em primeira votação, somente poderá ser apreciada no ano seguinte. E Eduardo Cunha vem atropelando a tudo e todos, e numa falta de respeito aprovando contra a Constituição matérias que vão dá problemas a sociedade brasileira. Estamos vivendo de novo, como na ditadura militar, num Estado de exceção sob a coordenação de um único homem, que saiu do chamado baixo clero e está impondo não a pauta que interessa a toda a sociedade, mas apenas a pauta que lhe interessa e a um grupo de deputados de vários partidos, que está literalmente enfeitiçado sob sua coordenação maquiavélica.

Repito, estamos de fato vivendo num Estado de exceção, sob a coordenação de Eduardo Cunha, de setores do PMBD, do PSDB, do DEM, e principalmente de quem forma opinião na sociedade brasileira, o chamado Quarto Poder: a mídia dos Marinhos, dos Civittas, de Macedo e outros mais!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …