Para Ciro, Eduardo Cunha é um bandido e mafioso que não tem a minima moral para pedir impeachment da presidente

Por Genaldo de Melo
Ciro sobre golpe: Oposição frouxa não aguentará pressão nas ruas
O ex-prefeito de Fortaleza, ex-governador do Ceará, e ex-ministro da Fazenda (responsável pela instalação do Plano Real, em sua fase mais critica, no Governo Itamar) e da Integração, no Governo Lula, Ciro Gomes, classificou de “intolerável” a tentativa de parte da oposição e de setores da sociedade de derrubar a Presidenta Dilma Rousseff, reeleita em 2014. Segundo Ciro, o Golpe não se consumará. “O Golpe não acontecerá. Não vai ter e ponto final. Alguns de nós brasileiros estamos dispostos a levar (a resistência ao Golpe) às ultimas consequências. Basta isso para não ter golpe porque eles [os que pregam o golpe] são frouxos, não aguentam a pressão das ruas. O povo brasileiro vai para a rua para garantir a Democracia”, afirmou nesta segunda-feira (20), em entrevista a Paulo Henrique Amorim. “Todo brasileiro com o mínimo de responsabilidade política tem o dever de se manifestar” Em entrevista para o portal Conversa Afiada, de Paulo Henrique Amorim, Ciro Gomes destacou que há duas coisas graves acontecendo ultimamente no país: A primeira é uma escalada golpista que fundaria no Brasil uma espécie de Venezuela, no pior aspecto que possamos imaginar. A segunda é a não aceitação (por parte da oposição) da eleição da Presidente Dilma Rousseff. Quando Dilma foi eleita, o brasileiro escolheu quais eram os valores que realmente importavam para o país. Ciro não poupou críticas ao atual governo e destacou que a agenda de Dilma está desconstituindo a legitimidade de seu mandato. Para ele é necessário que todos se unam afim de reconstituir essa legitimidade.

Comentários