Bebê que nasceu com três pênis, devido à condição rara, passa por cirurgia reparadora

Por Genaldo de Melo
 


Um bebê indiano nascido com três pênis passou por uma cirurgia pioneira para corrigir a anomalia extremamente rara. Hoje, com 2 anos, ele sofre de difalia, uma condição que faz um homem nascer com vários pênis. O menino, que permanece não identificado, também teve outro pênis pouco desenvolvido, descrito como uma "massa mole, óssea", relatou o portal Daily News and Analysis (DNA). Ele era capaz de urinar apenas por um deles. Além disso, os médicos descobriram, após seu nascimento, que ele não tinha ânus. Na época, os médicos locais realizaram um procedimento conhecido como “colostomia”’, no qual é feita uma incisão na barriga para deixar seu excremento sair através de um tubo. No mês passado, sua mãe o levou para a cidade de Mumbai, para que ele fosse submetido a uma operação de seis horas para remover os membros adicionais estranhos. O complexo procedimento foi realizado no hospital da cidade de Sion. Apenas dois dos pênis tinham tecido erétil. "Havia uma enorme massa óssea e tecido mole nos pênis anexados", contou o Dr. Vishesh Dixit, cirurgião pediátrico. Os médicos extraíram a massa excessiva e fundiram os dois pênis em um. “Os dois pênis funcionais foram fundidos em um só, envolvendo uma massa de pele ao redor deles”, acrescentou o médico. Em seguida, um ânus foi criado através do reto do menino, para que ele possa liberar seus excrementos normalmente. No fim de agosto, o menino passará por uma segunda cirurgia para fechar a incisão em seu estômago. Os médicos disseram que ele será capaz de ter relações sexuais normalmente, e sua fertilidade não será afetada quando adulto. "Queremos que o nosso menino leve uma vida normal, e somos gratos aos médicos que realizaram a cirurgia bem-sucedida”, disse o tio do garoto aos jornalistas do DNA. Difalia é uma condição incrivelmente rara, afetando apenas uma em cada 5 a 6 milhões de nascimentos, de acordo com o Jornal de Pediatria Iraniano. Cerca de 100 casos foram registrados na literatura médica desde 1609. O problema no desenvolvimento do tecido fetal é que a membrana que iria virar o pênis e o reto separa-se. Quando ocorre a lesão, o estresse ou um gene com mau funcionamento impede esse processo, resultando em uma anomalia, normalmente acompanhada por outras anormalidades congênitas. Cada caso de difalia é diferente e os tratamentos são normalmente adaptados individualmente.(JC)

Comentários