Código de acesso da tela de bloqueio de celular não é muito seguro! Estudo revela que 75% das pessoas criam senhas previsíveis, começando de um dos cantos

Por Genaldo de Melo

Um estudo revelou que a maioria dos usuários de smartphones utiliza padrões semelhantes para desbloquear os aparelhos, facilitando a ação de criminosos. Os dados revelam que 75% das pessoas iniciam seus padrões de tela de bloqueio de um canto. Marte Loge, da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia, também disse que 44% dos participantes do estudo realizavam o bloqueio de tela padrão a partir do canto superior esquerdo. Cerca de 10% dos padrões formavam letras simples, como um N ou C, que na maioria das vezes relacionavam-se com a inicial do nome do usuário ou de um ente querido. As descobertas dos padrões de bloqueio para Android, que foram introduzidos em 2008, foram apresentadas no PasswordCon, em Las Vegas, na semana passada. Loge analisou 4 mil amostras de padrões de bloqueio de Android gerados por usuários como parte de sua tese. Ela pediu que os participantes do estudo criassem três padrões de bloqueio, sendo um para um aplicativo de compras imaginário, outro para um aplicativo bancário falso e um para desbloquear um telefone. A maioria das pessoas optou por um padrão que percorreu a quantidade mínima de pontos – quatro – tornando seu padrão muito menos seguro. O número médio de pontos utilizados foi cinco, o que significa que havia cerca de 8 mil combinações possíveis de padrão. Porém, caiu para apenas 1.624 com a utilização de quatro padrões de pontos. Loge descobriu que a maioria das pessoas escolheu padrões que iam da esquerda para a direita, fazendo as combinações mais fáceis de serem descobertas. Os homens eram mais propensos que mulheres a escolher padrões maiores e complicados, mas, curiosamente, houve pouca diferença entre os padrões escolhidos pelos participantes destros e canhotos. "Os seres humanos são previsíveis", disse Loge. "Nós estamos vendo os mesmos aspectos utilizados ao criar um teste-padrão de bloqueios de códigos PIN e senhas alfanuméricas”. Ela acredita que o uso de linhas diagonais que não comecem de um canto produz os padrões mais seguros de senhas. Usar uma sequência longa e complexa é também é, obviamente, mais seguro. (JC)

Comentários