Aloysio Nunes recebeu R$ 500 mil de caixa 2 para campanha de 2010, diz Pessoa

Por Genaldo de Melo
 O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) teria se beneficiado de "caixa 2", no valor de R$ 500 mil, para a sua campanha de 2010, disse o empresário dono da UTC, Ricardo Pessoa, que é delator na Operação Lava Jato. Pessoa afirmou que se reuniu com o senador em seu escritório, descrevendo o endereço na avenida 9 de Julho, em São Paulo, e "acertou a doação de 500 mil reais". De acordo com o delator, Aloysio pediu "que o pagamento fosse feito da seguinte forma: R$ 300 mil oficialmente e R$ 200 mil em dinheiro". O empreiteiro afirmou aos investigadores da Operação Lava Jato que "não acreditava na vitória de Aloysio Nunes Ferreira, mas sabia que ele era uma pessoa influente no PSDB" e "um ministeriável sempre". O delator mencionou, ainda, sobre o repasse de "caixa 2" para Hélio Costa, candidato pelo PMDB ao governo de Minas em 2010. Pessoa disse que "também visitou o candidato ao governo do Estado de Minas Gerais nas eleições de 2010", em Belo Horizonte. A intermediação teria sido feita pelo ex-presidente do Banco Popular, Ivan Guimarães, que teria solicitado a doação de R$ 500 mil para a campanha de Costa, sendo "R$ 250 mil reais de forma oficial e os outros R$ 250 mil em espécie". Em resposta, Aloysio Nunes apenas disse em nota que não tem relação "com essa sujeira". "A investigação das contas da minha campanha ao Senado em 2010, pedida pelo dr. Janot, representa um desvio do verdadeiro foco da operação Lava- Jato que, como todos sabem, é o conluio entre empresários, políticos e dirigentes da Petrobras, com as bênçãos de Lula e Dilma", desviou o senador. (Valor)

Comentários