Cáritas seleciona empreendimentos para fortalecer economia solidária no Brasil

Por Genaldo de Melo




A Cáritas Brasileira está com inscrições abertas para um edital de apoio a Empreendimentos de Economia Solidária (EES). A proposta é fortalecer o desenvolvimento comunitário por meio do financiamento de projetos com base nas necessidades, práticas e culturas locais, priorizando os empreendimentos autogestionários e ambientalmente sustentáveis. A ideia é consolidar a economia solidária como alternativa de formação e geração de renda das populações em situação de vulnerabilidade, na perspectiva do desenvolvimento solidário sustentável e territorial. Poderão concorrer ao edital grupos organizados (formal ou informal), coletivos, associações, fundações, cooperativas, redes etc. No total serão apoiados 120 empreendimentos nos segmentos de trabalhadores (as) rurais e urbanos; reciclagem de resíduos sólidos; pesca artesanal; comunicação; finanças solidárias; e Povos e Comunidades Tradicionais. A seleção também destinará um percentual mínimo de projetos que devem ser apoiados como iniciativas exclusivas de grupos constituídos por mulheres (25%) e juventudes (25%). Entre as iniciativas a serem apoiadas, destacando-se: experiências de produção agroecológica, agroflorestas, quintais produtivos e casas de semente; experiências de processamento da produção - frutas e verduras, de carnes, de leite, de mel, pequenas fábricas de doces, de queijos, artesanatos; formação e incentivo para organização de coletivos de produção e serviços; redes de produção, comercialização e consumo solidários, trocas solidárias, sistemas de marcas e selos de identidade; desenvolvimento de softwares livre e tecnologias adequadas aos empreendimentos; capacitação e qualificação para outras iniciativas populares em economia solidária sobretudo em Fundos Rotativos Solidários; entre outras. Serão priorizadas também propostas das regiões Norte e Centro-Oeste, tendo em vista que estas são as que possuem a menor quantidade de empreendimentos e que mais sofrem com a expansão das fronteiras agrícolas e da devastação dos biomas da Floresta Amazônica e do Cerrado. Cada uma dessas regiões receberá 30% da quantidade de projetos a serem apoiados. Os EES em fase de estruturação receberão até R$ 10 mil. Já os empreendimentos consolidados receberão até R$ 20 mil e as Redes de EES até R$ 30 mil. O tempo de desenvolvimento de cada projeto deve ser de 12 meses. Os interessados em concorrer devem acessar o regulamento (clique aqui) e enviar a proposta em acordo com as orientações do documento até o dia 05 de setembro. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail: projetos@caritas.org.br.

Comentários