Galvão Bueno “sempre conviveu promiscuamente” com corruptos do futebol, diz Juca Kfouri

Por Genaldo de Melo
override-if-required
Juca Kfouri escreveu um artigo na mais recente edição da Revista da ESPM sobre as relações da cartolagem com jornalistas esportivos. O texto é centrado em Galvão Bueno, que fez um discurso indignado sobre a corrupção no esporte durante a transmissão do jogo entre Barcelona e Juventus na Liga dos Campeões. Para Juca, Galvão “sempre conviveu alegremente com alguns dos principais envolvidos no episódio, como o empresário e réu confesso J. Hawilla, dono da Traffic, a maior empresa de marketing esportivo da América Latina, e a mais corruptora também”. Galvão, continua, “jamais economizou nas homenagens a João Havelange, o capo di tutti cappi, e a Ricardo Teixeira. Ele sempre poderá alegar que não sabia, como fazem os políticos em geral. Mas jamais poderá negar que conviveu promiscuamente com tais personagens”. (DCM)

Comentários