Mais um defensor do golpe vira réu por propina: Alberto Fraga (DEM)

Por Genaldo de Melo
 LUIS MACEDO:
Defensor do golpe contra o governo Dilma Rousseff, o deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF) vai responder pela suposta prática do crime de concussão – artigo 316 do Código Penal. De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios à Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), entre julho e agosto de 2008, na época como secretário de Transportes do Distrito Federal, ele teria exigido e recebido R$ 350 mil pela assinatura de contratos de adesão entre o governo e uma cooperativa de transportes. Ele nega. Mas, de acordo com o relator, ministro Teori Zavascki, segundo reportagem do ‘Estado de S. Paulo’, ‘há na denúncia descrição clara e precisa dos delitos imputados ao deputado federal e ao seu motorista’. “Não é inepta a denúncia, pois narrou os fatos em tese delituosos, as condutas dos agentes, com as devidas circunstâncias”, destacou Teori Zavascki. “Não é necessário que a denúncia descreva minuciosamente [os fatos]. Impõe, sim, uma descrição lógica e coerente, de modo a permitir ao acusado entender a imputação e exercer a defesa, e isso ocorreu.” Nesta terça-feira, outro parlamentar que defende o impeachment de Dilma foi denunciado: o deputado e fundador do Solidariedade, Paulo Pereira da Silva (SP) virou réu no STF por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e crime contra o sistema financeiro nacional, por envolvimento na Operação Santa Tereza, da Polícia Federal, que investigou desvios de recursos do BNDES (leia aqui).(247)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ACM Neto pode não ser mais candidato nas próximas eleições na Bahia

A Globo agora anuncia a incrível piada de início de ano com Luciano Huck e Angélica

O Pitbull de Eduardo Cunha finalmente levou uma mordida