Negromonte é um dos cinco a receber propina de R$ 250 mil, diz delator

Por Genaldo de Melo
Resultado de imagem para mario negromonte
O ex-ministro das Cidades Mario Negromonte era um dos cinco caciques do PP com cota mínima de propina de R$ 250 mil, pagos com dinheiro da corrupção na Petrobras, segundo delatou o doleiro Alberto Youssef à força-tarefa da Operação Lava Jato . A denúncia de Youssef está transcrita na página 113 do relatório em que a Polícia Federal pede ao Supremo autorização para ouvir políticos implicados no escândalo. Lista que inclui o próprio Negromonte, atual conselheiro do tribunal de Contas dos Municípios da Bahia, e o ex-presidente Lula. Em um dos depoimentos reproduzidos pela PF na solicitação, o doleiro afirma que as parcelas mensais para a cúpula do partido podiam chegar a R$ 500 mil e tinham como destinatários, além do ex-ministro, outros quatro nomes: os ex-deputados João Pizzolatti (SC), Pedro Corrêa (PE) e José Janene (PR), já falecido, e o deputado Nelson Meurer (PR). Ainda de acordo com Youssef, esse acerto vigorou entre 2006 e 2012, quando Negromonte perdeu o cargo na Esplanada dos Ministérios e a força no PP.

Comentários