Pular para o conteúdo principal

O erro dos fortes



Por Genaldo de Melo 

A história que é sem sombras para dúvidas a prova dos nove tem comprovado reiteradas vezes que nenhum governo, por mais que tenha respaldo em capital eleitoral próprio, jamais, e nem sequer, deve imaginar que governa sozinho sem a participação de mais forças políticas, inclusive aquelas que por diversas vezes possam ter sido adversárias em batalhas eleitorais anteriores, mas que em tempos recentes afiançou-lhe confiança política. Complicado pensar que uma estrutura de governo possa pertencer apenas a um grupo político, ou mais precisamente ao grupo ou partido que teve a sorte de ganhar as urnas.

A história está repleta de exemplos de grupos políticos que a partir do momento que tomou as rédeas do poder, esse passou a ser dirigido politicamente por uma liderança personalista, que em suas atitudes pensou sempre apenas observando as lentes marrons de seus interesses próprios, alijando do processo outras lideranças e forças políticas que colocaram capital eleitoral suficiente para a vitória. O erro político consiste em não compreender a metáfora de que ninguém come um bolo sozinho sem que uma parte antes do final apodreça. E bolo podre sempre causa infecção intestinal!

Para satisfazer os interesses do povo, que necessariamente é para isso que serve um governo, deve-se está sempre rodeado das mais variadas correntes políticas ou ideológicas, que representam todas elas parcelas diferentes e que pensam diferente da população, mas que vivem todas sob o jugo de um mesmo governo. Esse princípio serve também para quem está em uma postura de poder menor planejando a chegada ao posto de poder maior. Isso porque existem indivíduos que por seu caráter político personalista, não enxergam que necessariamente para chegar a colocar em prática qualquer tipo de projeto de poder, concessões são inevitáveis.

Não é preciso viajar para muito longe para dialogar com a realidade e observar erros cometidos, que com uma boa assessoria seriam evitados. Observamos que determinados partidos, dialogam com as mais diversas forças políticas para ganhar as eleições, mas quando chegam ao poder querem e pensam que governam sozinhos. Observamos que partidos em posturas de poder menor em espaços menores, querem chegar a postura de poder maior, mais não distribuem nem uma pequena parcela do poder que tem. Por isso que por variadas vezes tentam a postura de poder maior, mas nunca conseguem, porque sempre acham que a estrutura que coordenam e não dividem lhes garantirão doses de dezoitos anos na cabeça no final dos dias dos outubros da vida que decidem quem manda em um governo.

Para determinados partidos e para determinadas lideranças políticas, discurso progressista será sempre para discutir questões de caráter coletivo que não se resolve nunca. Mas quando se trata de resolver interesses próprios, conservadores todos se tornam, como nunca deixaram de ser. Governo sozinho acaba, e quem quer chegar ao governo sozinho hiberna. O cenário político está repleto de indivíduos que sozinhos não passam do parlamento. 

Lembrei de Adorno e Horkheimer: mas como é ridículo ser inteligente!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …