Papa se desculpa por ser feminista

Por Genaldo de Melo


O papa Francisco disse ontem quinta-feira (17) que é "um pouco feminista", ao discursar para cerca de cinco mil jovens consagrados no Vaticano. "Perdoem-me se sou um pouco feminista, mas preciso agradecer o testemunho das mulheres consagradas", disse o Papa, provocando um caloroso aplauso. "Mas não todas, hein? Algumas são um pouco histéricas", completou, gerando mais risos na plateia. "Quero agradecer o testemunho porque vocês têm essa vontade de caminhar na linha de frente, porque são mães, têm essa maternidade que as aproximam da Igreja", disse. Também hoje, o Pontífice fez um apelo para que a sociedade "proteja" a dignidade das mulheres e evite que elas se exponham a situações indesejadas. "É preocupante ver o aumento no número de jovens meninas e mulheres que são obrigadas a ganhar a vida nas ruas, vendendo o próprio corpo, explorada por grupos criminosos ou, algumas vezes, pela própria família", afirmou. Segundo ele, "esta realidade é uma vergonha para as nossas sociedades que se gabam por ter atingido altos níveis de cultura e desenvolvimento". "A corrupção difusa e a busca constante por lucros privam os inocentes e os mais frágeis da possibilidade de uma vida digna, alimentando a criminalidade e as injustiças", comentou, criticando que "ninguém pode permanecer inerte diante da urgente necessidade de proteger a dignidade das mulheres, ameaçadas por fatores culturais e econômicos".

Comentários