Bolsonaro e Feliciano repudiam abordagem do feminismo no Enem: "Doutrinação"

Através das redes sociais, os deputados Jair Bolsonaro (PP-RJ) e Marcos Feliciano (PSC-SP) se manifestaram contra uma questão do primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A questão abordava o feminismo e trazia um texto da filósofa francesa Simone de Beauvoir e fala sobre as lutas feministas da metade do século XX. De acordo com os parlamentares, o item foi considerado uma tentativa de "doutrinação" por parte do Ministério da Educação (MEC). "Essa frase da filósofa Simone de Beauvoir é apenas opinião pessoal da autora, e me parece que a inserção desse texto, uma escolha adrede, ardilosa e discrepante do que se tem decidido sobre o que se deve ensinar aos nossos jovens", disse Feliciano por meio das redes sociais. Já Bolsonaro criticou a questão e chamou o Enem de "Exame Nacional do Ensino Marxistão". "O sonho petista em querer nos transformar em idiotas materializa-se em várias questões do ENEM (Exame Nacional do Ensino MARXISTA). Essa canalhada deverá ser extirpada do poder em 2018 com o VOTO IMPRESSO, ou antes, da mesma forma como o Congresso, em 02 de abril de 1964, cassou o comunista João Goulart", publicou. (Metro1)

Blog do Genaldo

Comentários