Mentiras e omissões do Jornalismo da Obediência

Por Genaldo de Melo
Mais uma vez a mídia do Jornalismo da Obediência prestou um desserviço ao Brasil com seu estardalhaço em relação ao pedido de impeachment de Dilma Rousseff feito pelo ex-petista, Hélio Bicudo, e Miguel Reale Jr., ex-ministro de FHC, pois os dois consultores jurídicos da Câmara dos Deputados, separadamente analisaram o documento e concluíram que não apresenta provas, e portanto deve ser arquivado.

Primeiro foi a mentira em relação a Hélio Bicudo, pois segundo seu filho em matéria no Diário do Centro do Mundo o mesmo não foi fundador do PT como foi dito variadas vezes, mas foi agregado ao partido por influência de parente. Segundo de forma parcial tentou convencer todo mundo de que Dilma cairia com a proposta dos dois renomados juristas, o que se mostrou matéria inconsistente.

Ontem (6) também no TSE no longo voto da ministra Luciana Lóssio, foi demonstrado ao longo de 51 páginas, que as provas apresentadas pelos tucanos para pedir a impugnação da chapa Dilma-Temer são, essencialmente, recortes de jornais, que claro independe também de provas consistentes para tanto. Mas isso não foi matéria de sensacionalismo para os brasileiros, é lógico!


Pobre e doente jornalismo, em plena democracia quer derrubar um governo no grito, e não no voto!

Comentários