Sem pedir desfiliação, o presidente da ALBA prepara terreno para não perder mandato pelo PDT


O sinal amarelo já acendeu para o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelo Nilo. Na tarde desta quinta-feira (15), o parlamentar entregou no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia uma ação declaratória de justa causa para desfiliação partidária. Ou seja, o presidente da Alba quer se precaver para não perder o mandato quando deixar o PDT. Conforme explicou a assessoria de comunicação do TRE-BA, o presidente não entregou um pedido de desfiliação, apenas o documento com justificativas para que o pleno julgue a saída. Dentre as justificativas está “perseguição política”. O Tribunal vai julgar o pedido, que ainda não tem data para votação. Caso tenha reconhecimento da justa causa, Nilo pode deixar o partido e dar prosseguimento no ingresso de uma nova sigla. O futuro mais provável do presidente da Alba, agora, é o PSL. O anúncio da saída do parlamentar se deu em maio deste ano. O motivo é conhecido por muitos: brigas com o atual comandante da legenda, o deputado federal Félix Mendonça Jr. Marcelo Nilo queria tomar o poder da sigla, mas não teve o aval do presidente nacional, Carlos Lupi. Chegou a pedi-lo, pessoalmente, porém não teve o desejo atendido. Nilo tentou criar o Partido Liberal para também comanda-lo, no entanto, a reforma política e divergências com o senador Otto Alencar (PSD), o projeto de recriação da legenda minou. (Bnews)

Blog do Genaldo

Comentários