O jornalismo para acéfalos

Por Genaldo de melo

Quando se fala em regulação econômica, digo “econômica”, dos gastos públicos do Estado para a propaganda oficial do Governo, que são concentrados em poucos meios de comunicação no país, muita gente que parece que não entendeu muito bem o termo “regulação econômica”, confunde com um discurso apaixonado com regulação da liberdade de expressão, que numa democracia como a nossa é uma das mais fortes prerrogativas dos homens e das mulheres livres que não cometem crimes para se construir exatamente uma nação livre.

Mas pelo que se parece alguns meios de comunicação do país já estão passando dos limites na função que lhes cabe, que é exatamente falar a verdade dos fatos de forma exatamente jornalística, como deve ser como meios comunicações, pois estão deixando de fazer jornalismo, puro e simples jornalismo, que tanto nosso povo precisa, para fazer política no sentido mais literal da palavra. São tantos os últimos desregramentos que não se pode conceber a não ser que sejamos todos imbecilizados.

São tantas mentiras inventadas e contadas numa semana, virando escândalos como se fossem verdades, e na outra semana pequenas notinhas de desculpas, que não se pode conceber isso como sendo jornalismo sério que se pretende cumprir papel protagonista em nossa democracia. São tantos assassinatos de reputações que beira ao ridículo o jornalismo em nosso país. E quando você vai escrever algum texto para se contrapor a esse distúrbio da libido social vem logo um acéfalo funcionário das famílias do mundo empresarial das comunicações, e diz que você é petista.

Petistas são alguns "imbecis" que ainda não discutiu os crimes jornalísticos e os assassinatos de reputação nesse país, não esse que escreve esse texto! Precisaríamos de muita resistência à raciocínio para não entender que o “Grande Irmão” da TV aberta, revistas de esgoto e jornais, inventam amigos de um homem que com dois mandatos de presidente da República não sabe escolher seus amigos a vinte anos, que contam tantos segredos de sua vida pessoal e política para ser “jornalisticamente” consagrados aos acéfalos papagaios, que não sabem fazer notícias, e apenas copiam mentiras, e esquecem de também propagar as notinhas de desculpas depois.


A gente que consome mídia de qualidade, bem como mídia de sujeira “plantada” sabe muito bem a diferença entre jornalismo e política, e entende mais ainda que os limites já estão chegando à beira do abismo de tanta mentira, e tanta falta de vergonha e de respeito aos brasileiros. Quer falar de corrupção que fale de todo mundo, pois pelo que sabemos essa traça da corrupção não apareceu apenas agora que perderam as eleições no voto. Essa praga da desgraça da corrupção está filosoficamente na natureza até de quem vende a consciência e o voto para depois somente consumir lixo cultural e goebbelsianismo da mentira.

Comentários