O mundo está acabando para o jornalismo brasileiro

Por Genaldo de Melo
O jornalismo brasileiro, especialmente o da Rede Globo, Folha, Estadão, Veja e Época, especializou-se em somente apresentar o que de pior existe no país. É como se nunca ninguém fizesse nada de positivo, tudo é ruim, é péssimo, é dos infernos! Na recente demissão do âncora da Globo News, Sidney Rezende, numa rara sinceridade fatal ele escreve em seu blog “uma trupe de jornalistas parece tão certa de que o impedimento da presidente Dilma Rousseff é o único caminho possível para a redenção nacional que se esquece de nosso dever principal, que é noticiar o fato, perseguir a verdade, ser fiel ao ocorrido e refletir sobre o real e não sobre o que pode vir a ser o nosso desejo interior. Essa turma tem suas neuroses loucas e querem nos enlouquecer também (...). Reconheço a importância dos comentaristas. Tudo bem que escrevam e digam o que pensam. Mas nem por isso devem cultivar a ‘má vontade’ e o ‘ódio’ como princípio de seu trabalho. Tem um grupo grande que para ser aceito, simplesmente se inscrevem numa ‘igrejinha’, ganha carteirinha da banda de música e passa a rezar na mesma cartilha. Todos iguaizinhos”. A sinceridade desse que foi jornalista desde a criação da Globo News revela o péssimo jornalismo brasileiro, exatamente aquele que apenas se preocupa em apresentar as coisas negativas desse país para derrubar grupos políticos que vencem eleições no voto, em detrimento dos fatos e também coisas positivas dos grupos políticos que vencem as eleições no voto.

Comentários