Pular para o conteúdo principal

O que aconteceria com a Terra se nós, humanos, explodíssemos a Lua?


O ano é 2113. A humanidade passou os últimos 100 anos estocando 600 bilhões de ogivas nucleares, das maiores e mais mortais. E por qual motivo? Porque nós decidimos explodir a Lua, e, para isso, seria necessário o equivalente a 30 trilhões de megatons de TNT. Isso para destruir completamente a Lua, com todos seus fragmentos remanescentes, que, provavelmente, se aglutinariam. Nossos cientistas do futuro pretendem se livrar completamente da Lua, atacando-a de todos os lados. Os fragmentos da Lua, pequenos demais para terem vínculo gravitacional, começariam a se espalhar. Em primeiro lugar, muitos destes fragmentos viriam em direção à Terra, em uma chuva de rocha derretida caindo sobre nosso planeta. Cidades seriam destruídas, países varridos do mapa, e começaríamos a nos perguntar se explodir a Lua realmente foi uma boa ideia. O material restante da Lua entraria em órbita ao redor do planeta, formando um anel em torno do nosso planeta. Mas, diferente do anel de Saturno, não seriam fixos. Periodicamente, até o fim da vida na Terra, meteoritos sairiam do anel e cairiam na superfície terrestre. Além disso, estaríamos muito mais vulneráveis a impactos de corpos externos. Isso ocorreria porque, ao longo dos milhões de anos, a Lua nos protegeu, recebendo uma grande quantidade de meteoritos que caíam em nosso satélite natural em vez da Terra. Um dos efeitos mais visíveis da Lua diz respeito às marés. Com a Lua inexistente, os oceanos do mundo seriam muito mais calmos. O sol ainda tem um efeito sobre eles (conhecido como marés solares). Isto teria um efeito terrível sobre a vida na Terra. Quando a vida se formou em nosso planeta, foi graças à atração gravitacional da Lua que a evolução aconteceu, com a adaptação em diversos territórios. A vida nos oceanos não conseguiria mais se mover tão facilmente. A agitação dos oceanos, e, assim, a circulação de nutrientes, cessaria. Milhares de espécies seriam extintas. A Lua também é responsável por cerca de um octogésimo do sistema de massa da Terra. A perda do astro afetaria diretamente a órbita da Terra, sua rotação e sua oscilação. Sem a Lua para agir como um estabilizador, a Terra começaria a balançar mais e mais, confundiria as nossas estações e mudaria nossa órbita em torno do Sol, aumentando o ângulo elíptico. A órbita da Terra em torno do Sol seria selvagem, instável e flutuante. Neste ponto, se a humanidade sobrevivesse ao bombardeio constante dos restos da Lua e outras rochas espaciais, a erradicação da maioria das outras espécies do globo e, finalmente, as mudanças catastróficas sazonais, fariam com que os cientistas que destruíram a Lua ficassem completamente arrependidos – se ainda estivessem vivos! (JC)


Blog do Genaldo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …