O que aconteceria com a Terra se nós, humanos, explodíssemos a Lua?


O ano é 2113. A humanidade passou os últimos 100 anos estocando 600 bilhões de ogivas nucleares, das maiores e mais mortais. E por qual motivo? Porque nós decidimos explodir a Lua, e, para isso, seria necessário o equivalente a 30 trilhões de megatons de TNT. Isso para destruir completamente a Lua, com todos seus fragmentos remanescentes, que, provavelmente, se aglutinariam. Nossos cientistas do futuro pretendem se livrar completamente da Lua, atacando-a de todos os lados. Os fragmentos da Lua, pequenos demais para terem vínculo gravitacional, começariam a se espalhar. Em primeiro lugar, muitos destes fragmentos viriam em direção à Terra, em uma chuva de rocha derretida caindo sobre nosso planeta. Cidades seriam destruídas, países varridos do mapa, e começaríamos a nos perguntar se explodir a Lua realmente foi uma boa ideia. O material restante da Lua entraria em órbita ao redor do planeta, formando um anel em torno do nosso planeta. Mas, diferente do anel de Saturno, não seriam fixos. Periodicamente, até o fim da vida na Terra, meteoritos sairiam do anel e cairiam na superfície terrestre. Além disso, estaríamos muito mais vulneráveis a impactos de corpos externos. Isso ocorreria porque, ao longo dos milhões de anos, a Lua nos protegeu, recebendo uma grande quantidade de meteoritos que caíam em nosso satélite natural em vez da Terra. Um dos efeitos mais visíveis da Lua diz respeito às marés. Com a Lua inexistente, os oceanos do mundo seriam muito mais calmos. O sol ainda tem um efeito sobre eles (conhecido como marés solares). Isto teria um efeito terrível sobre a vida na Terra. Quando a vida se formou em nosso planeta, foi graças à atração gravitacional da Lua que a evolução aconteceu, com a adaptação em diversos territórios. A vida nos oceanos não conseguiria mais se mover tão facilmente. A agitação dos oceanos, e, assim, a circulação de nutrientes, cessaria. Milhares de espécies seriam extintas. A Lua também é responsável por cerca de um octogésimo do sistema de massa da Terra. A perda do astro afetaria diretamente a órbita da Terra, sua rotação e sua oscilação. Sem a Lua para agir como um estabilizador, a Terra começaria a balançar mais e mais, confundiria as nossas estações e mudaria nossa órbita em torno do Sol, aumentando o ângulo elíptico. A órbita da Terra em torno do Sol seria selvagem, instável e flutuante. Neste ponto, se a humanidade sobrevivesse ao bombardeio constante dos restos da Lua e outras rochas espaciais, a erradicação da maioria das outras espécies do globo e, finalmente, as mudanças catastróficas sazonais, fariam com que os cientistas que destruíram a Lua ficassem completamente arrependidos – se ainda estivessem vivos! (JC)


Blog do Genaldo

Comentários