PMDB QUER SER ALTERNATIVA À POLARIZAÇÃO PT-PSDB

:
21 anos após lançar seu último candidato presidencial, o PMDB se prepara para discutir os rumos do partido e fortalecer a ideia de ter candidatura própria para 2018. Com a presença do vice-presidente Michel Temer e das principais lideranças do partido, o PMDB realiza nesta terça-feira, 18, em Brasília, o primeiro ato de uma série para debater o programa de Governo do partido, mudanças no seu estatuto e iniciar o treinamento dos candidatos às eleições municipais do ano que vem.Durante o encontro, o partido vai discutir o documento intitulado "Uma ponte para o futuro", em que tece críticas à política econômica e fiscal, cobra a execução de um orçamento mais realista e mudanças polêmicas, como o fim da política de aumentos no salário mínimo e a vinculação de receitas em áreas como a Saúde e Educação. Segundo reportagem do El País, apesar da expectativa sobre o evento da próxima terça-feira, nenhuma definição deve sair dele por conta de seu critério informal e por se tratar de um encontro promovido pela Fundação Ulysses Guimarães, um braço do partido. As decisões peemedebistas ocorrem apenas durante reuniões da Executiva Nacional e nas Convenções. As próximas estão previstas para março de 2016. Mesmo assim, espera-se que surjam diversas críticas à aliança com o PT, tornando-se, portanto, um filtro capaz de mensurar o tamanho do apoio que Dilma Rousseff ainda tem dentro de seu principal aliado. Ao menos 10 dos 49 políticos investigados pela operação Lava Jato são filiados à sigla. Todos são suspeitos de terem se beneficiado do esquema que desviou ao menos 6 bilhões de reais da Petrobras por meio de pagamento de propinas por partes de empreiteiras. Entre eles estão Cunha e o presidente do Senado, Renan Calheiros. Nenhum dos dez suspeitos, porém, passou por qualquer investigação interna no PMDB. (247)
Blog do Genaldo

Comentários