A MOSCA AZUL MORDEU TEMER

Por Genaldo de Melo
Resultado de imagem para charges de Michel temer
Como este Blog anunciou ontem a partir de informações de jornalistas sérios de que havia desconfiança de determinados setores ligados ao Governo de que o Vice-presidente da República, Michel temer, estava em surdina se articulando com setores da mídia do Jornalismo da Obediência, e com os setores da oposição mais conservadora para promover o chamado “Golpe Paulista”, e assumir o mandato no lugar de Dilma Rousseff, nada mais há a se colocar como contraponto a isso depois de sua carta a presidente, em que praticamente propõe a ruptura política entre o seu partido e o Governo.

O discurso parece estranho depois de tanto tempo no Governo com sete ministérios, inclusive o Ministério da Saúde. Segundo ele “no segundo mandato, à última hora, não renovou o Ministério da Aviação Civil onde o Moreira Franco fez belíssimo trabalho elogiado durante a Copa do Mundo. Sabia que ele era uma indicação minha. Quis, portanto, desvalorizar-me. Cheguei a registrar este fato no dia seguinte, ao telefone”. Do mesmo modo fala na carta que “no episódio Eliseu Padilha, mais recente, ele deixou o Ministério em razão de muitas “desfeitas”, culminando com o que o governo fez a ele, Ministro, retirando sem nenhum aviso prévio, nome com perfil técnico que ele, Ministro da área, indicara para a ANAC. Alardeou-se a) que fora retaliação a mim; b) que ele saiu porque faz parte de uma suposta “conspiração”.

Segundo ele também todas as propostas do Governo mais difíceis se não fosse o mesmo nada seria aprovado no Congresso. Fica difícil compreendê-lo como se estava insatisfeito não escreveu carta antes a Dilma, somente agora quando claramente existe em curso uma proposta de derrubar a presidente a qualquer custo. Enfim ele termina a carta dizendo que Dilma nunca lhe teve confiança nem ontem, nem hoje e nem terá amanhã para justificar sua atitude como presidente do PMDB e vice-presidente da República

Foi a mordida da mosca azul de fato para contribuir com o “Golpe Paulista” e beber da água sagrada do Palácio do Planalto!

Comentários