Amigo de Aécio pega 20 anos de prisão por roubo

Por Genaldo de Melo
Por mais que uma turma diga que em qualquer texto que a gente escreva, sobre o papel da mídia do Jornalismo da Obediência e sua parcialidade, tenha conotação política, mesmo que não estejamos defendendo teses partidárias, cada vez mais fica comprovado em “olhos nus” que essa mídia mesmo não tendo partido político escancarado e assumido, tem lado sim.

Quando virou proselitismo sensacionalista a AP 470 começou uma verdadeira carnificina de reputações no Brasil, porém apenas dos amigos de Lula, que apresentou na prática um projeto de sociedade que tanto as classes sociais superiores economicamente ganharam dinheiro, como houve distribuição de renda com o intuito de diminuir as disparidades nas relações econômicas no Brasil.

O mais demonizado foi exatamente o mentor político da esquerda brasileira na época, José Dirceu. O derramamento de “sangue político” dele foi de uma magnitude tamanha, sua reputação foi colocada em situação pior de que assassinos profissionais e ladrões de rua, que hoje até mesmo crianças o tratam como se fosse o demônio em “carne e osso” enclausurado na República de Moro.

Não precisa ser inteligente ou filiado à partido político de esquerda para enxergar certos disparates jornalísticos, basta ter firmeza de caráter e um pouco de raciocínio. Pois nesta quarta-feira (16), Eduardo Azeredo – ex-governador de Minas Gerais, ex-senador e ex-presidente nacional do PSDB – foi condenado a 20 anos e 10 meses de cadeia, em regime fechado, pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro, e os jornalões e mídia televisiva colocaram apenas pequenas “notinhas”.

A sentença em primeira instância foi proferida pela juíza da 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte, Melissa Pinheiro Costa Lage, e se refere ao escândalo do “mensalão tucano” – que a mídia privada insiste em chamar carinhosamente de “mensalão mineiro”. Com diz Altamiro parece que “todo tucano é santo e basta se filiar ao PSDB para não ser investigado, condenado e, muito menos, ser preso”.

Diante de tal fato como acreditar que parcela da mídia brasileira é imparcial? “Mensalão petista” existe, mas “mensalão tucano” não, pois tem outro nome bonito “mensalão mineiro”. Delúbio, Dirceu, Vaccario, Genoíno, inclusive Lula que não foi preso, são bandidos públicos a serem extirpados da sociedade, mas Azeredo com um currículo de invejar a qualquer político com ambição, pega 20 anos de cadeia, e nada!


O homem foi acusado de nada mais nada menos por sete crimes de peculato, o desvio de bens praticado contra a administração pública, e seis de lavagem de dinheiro cometidos durante a campanha eleitoral pela sua reeleição ao governo mineiro, em 1998. E apenas “notinhas”, nada de barulho e nem sensacionalismos. Me poupe, Pavarotti!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Lava Jato pode apresentar a lista de santos que o Brasil deve votar em 2018

Assaltantes estão causando terror no Distrito de Maria Quitéria