Dilma esmaga impeachment

Por Genaldo de Melo
Nessa semana a lanterna acendeu perigosamente para a presidente Dilma Rousseff, pois sinais claros de que o PMDB pode assumir o discurso do golpe surgiu com o pedido de demissão de Eliseu Padilha. 

O processo de impeachment contra a presidente obviamente que é político, e totalmente político, pois se as premissas para tanto foram as chamadas pedaladas fiscais, a partir de 06 decretos de suplementação financeira totalizando cerca de R$ 2,5 bilhões, essas já não mais existem porque de forma esmagadora o Congresso aprovou a proposta da nova meta fiscal. 

Desse modo, Dilma deverá tomar decisões ainda essa semana em relação aos seus ministros oriundos do PMDB, pois quem não trabalhar para derrubar o processo de impeachment deve ser demitido. 

Ela deverá conversar com toda essa turma e deixar claro que o governo é dela (pois foi ela que teve 54 milhões de votos e não Michel Temer). E aos ministros cabe defendê-lo e não trabalhar na surdina para derrubá-lo. Dilma deve como presidente liderar de fato o movimento que desembocará na derrubada da proposta de impeachment dela.

Comentários