Petistas entre a cruz e a espada

Por Genaldo de Melo
Resultado de imagem para imagens da cruz e da espada
Situação complicada em que o PT está metido na Câmara dos Deputados! Seus três deputados que são membros do Conselho de Ética estão obrigados, literalmente obrigados por tal condição, de tomar uma postura, ou a favor ou contra o atual presidente da Câmara dos Deputados, sabendo que em todos os cenários haverá conseqüências a serem absorvidas ali na frente.

Se decidirem que tomarão a postura de não apoiarem o arquivamento do processo de cassação do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, eles sabem de antemão que provavelmente no dia seguinte o “Senhor dos Anéis” mandará abrir requerimento de pedido de processo de impeachment contra Dilma Rousseff. O processo será literalmente político, porque não apareceram até agora provas suficientes como querem os opositores, com elementos jurídicos para tanto. O governo terá que trabalhar duro para obter os 171 votos necessários para derrubar o pedido.

Em acontecendo tal cenário, Eduardo Cunha, sabendo que estará ainda mais na linha de tiro, não precisará de muitos esforços para reconquistar parlamentares da oposição para defender seu nome contra sua cassação de mandato, e também provavelmente até o fatídico dia da decisão em plenário, aumentará a quantidade de chantagens para desgastar ainda mais o governo diante da opinião pública.

Em caso dos deputados do PT contribuírem para o arquivamento do processo de cassação de Eduardo Cunha, ele provavelmente enterrará o requerimento de processo de impeachment, tendendo a apoiar os projetos do governo, o que vai naturalmente baixar a temperatura política, dando tempo para o mesmo respirar e tratar de consertar o caos econômico num cenário menos tenso. Situação factível também que o governo terá um “Senhor dos Anéis” mais dócil e mais ocupado em salvar sua pele, deixando Dilma Rousseff em paz, porque estará às voltas com a PGR, o STF e a Lava Jato.

Mas num cenário como este provavelmente ninguém convencerá a mídia do Jornalismo da Obediência para não demonstrar para a sociedade brasileira a fraqueza do PT diante da situação de defesa de um corrupto já “quase” comprovado, manchando ainda mais a história e os compromissos que o partido sempre assumiu em seus documentos históricos em defesa da soberania do povo brasileiro. E a história é tão cruel e fria como um túmulo, ela é a prova dos nove. E o PT deverá responder as vozes das ruas!

Em cima do muro é que não se pode ficar. Ou se aprende com Maquiavel a forma correta de tomar postura para um lado, medindo as conseqüências exatas da decisão, e sabendo exatamente o que fazer para não perder o bonde da história, ou ficará como a pobre “Socorrinho”, que nunca sob vender verduras na feira.

Comentários