Pular para o conteúdo principal

Recado à ímpia eugenia de meu Primo

Por Genaldo de Melo
Resultado de imagem para imagens de punhais de ouro
As civilizadas prerrogativas da convivência rezam que o discurso retumbante e raivoso de quem perdeu as eleições em outubro último, não pode, e não deve jamais ser, mais forte ou mais superior ao silencioso exórdio da democracia plena na prática. Se assim for, sucumbiremos na mais profunda necessidade de algumas almas raquíticas que acham que não somos soberanos e livres em pleno século vinte e um, pois devemos como se por condições e natureza sermos governados, e literalmente domesticados como personagens do “Admirável Mundo Novo” de Huxley, por alguns poucos indivíduos que leram de forma torna Nietzsche e Maquiavel.

Devemos e temos que, mesmo não concordando, conviver com o discurso contrário ao nosso, porque isso, e somente isso, é a prerrogativa mais forte e necessária da democracia. Se não houver disputas de idéias na convivência democrática necessariamente deixaremos de ser humanos pra sermos verdadeiros animais, e não robôs, porque animais sentem e robôs não.

O direito político não pode residir literalmente na força do poder econômico e da idéia fixa do controle do poder político de poucos  para poucos, enquanto o resto que se dane. Se pela necessidade de se sentir superior não pode concordar comigo, pelo menos se assuma o discurso da necessidade da convivência no emaranhado de idéias difusas na sociedade que é feita por todos e para todos. Qualificar na mesma sociedade, que alguns indivíduos cultural e "eugenicamente" são superiores a outros, é no mínimo um erro ou uma doença de natureza cultural.

Achar que no meio de mais de 200 milhões de almas, existem iluminados de sangue azul, é como ter de fato exangue a própria alma. Amar o povo de Copacabana não é prerrogativa nenhuma para ser superior a quem sustenta o verdadeiro amor pelo chão quente do Sertão baiano. O direito de amar o povo de Copacabana é o mesmo direito de amar quem vive no Nordeste, e quem vem de Minas ou do Rio Grande do Sul. O direito político reside na força política e moral de quem respeita e aceita as prerrogativas de viver com a democracia, pela democracia, e para a democracia.

Não estou nem acima e nem abaixo da corda estendida entre o homem, a canalha e o super-homem de Nietzsche, mas filosofo politicamente porque posso, porque quero, e porque o estado democrático de direito me permite.


Estendo meu perdão ao meu "Primo" rico pela sua concepção anacrônica de achar que ainda existem coronéis no mundo político, bem como no mundo das idéias acesas. A carapuça que caia logo, porque “sem mim, sem minha águia, e sem minha serpente” ele não é ninguém com sua ímpia necessidade do “nariz em pé. Mas respeito é bom, e eu gosto!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …