Pular para o conteúdo principal

Somos os personagens da literatura inglesa

Por Genaldo de Melo

Resultado de imagem para imagens da desesperanças
O orgulho todo sabe que sempre foi a sombra maligna da grandeza. E quando estamos nesse estado por sentir que somos maiores que os homens e as mulheres que viveram num passado que nem imaginavam que teríamos tanta cultura ao nosso dispor e tantos métodos de adquiri-los, ele realmente torna-se mais perigoso ainda. Civilizados como nunca fomos como seres humanos, absolutamente civilizados por natureza e por condição, do ponto de vista político regredimos a condições de piores que papagaios.

Como brasileiros, conscientes do que somos, e conscientes mais ainda do podemos fazer hoje, estamos em nossa grande maioria atrelados a condição de não assumirmos a condição de que temos que fazer alguma coisa, porque senão sucumbiremos a barbárie social, politicamente falando. Aliás, porque não se ocupa às ruas como nos anos oitenta, diante de corruptos que querem no discurso combater a corrupção política alheia, se não fizeram isso antes de se elegerem a partir da própria prática da corrupção?

Se evoluímos em termos de paradigmas culturais, sociais, científicos e tecnológicos, como é que alguns de nós podemos aceitar o estado de coisas em si, em que homens literalmente corrompidos pela sua condição de conhecer mais do que os outros sobre os “parafusos” que mantém unida a máquina social, vivem literalmente para roubar cofres públicos e surrupiar consciências alheias?

Nosso orgulho é sermos melhores do que nossos antepassados, e até mesmo melhores que pessoas que a partir da condição natural da necessidade de perpetuação da espécie nos fizeram gente, mas que não estão interessados em Facebook e em WhatsApp, pois alguns preferem livros, outros preferem paz, e ainda outros não preferem ser robôs, e nem mesmo acreditar que em nome de Jesus alguns preferem demonstrar que querem ser maiores do que todos os cidadãos brasileiros que votam para serem representados, mas que de representados não têm nada, apenas têm algozes.

Vivemos literalmente uma crise de representação como nunca vivemos, pois a história tem mostrado o como somos como humanos incapazes de sermos politicamente unidos como seres humanos sem necessidades de classes sociais diferentes, porque o sangue é vermelho em todas as pessoas, e nem de gente que acha que corcunda é poder, que paletó no calor é lei, e que livros sagrados interpretados de maneira errada ou obras líquidas de "dezoito anos" que fazem a cabeça são a reza e o caminho a seguir.

Basta de pequenos exércitos de opinião de poucos para muitos, quando os poucos querem o sangue, literalmente o sangue dos muitos, para construírem e viveram em seus castelos de cristais alheios, e basta do orgulho exacerbado porque politicamente estamos piores humanamente falando que nossos antepassados, porque estamos piores que papagaios. Porque pensamos e não agimos, apenas repetimos, enquanto poucos se locupletam da boa vontade do povo, e da incapacidade planejada dos poucos que aprenderam a roubar.

Estamos nesse estado de coisas piores em condição humana politicamente, que os personagens de Aldoux Huxley, George Orwell e Anthony Burgees! Mas por enquanto ainda continuamos humanos para ainda pensar, se quisermos sobreviver sem barbárie! considerando que ainda temos os ‘acunhalados” da vida para defender interesses então!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …