Pular para o conteúdo principal

Acabou o impeachment, senhores!

Por Genaldo de Melo
 
Reiteradas vezes opinei que o chamado “príncipe da sociologia” brasileira, Fernando Henrique Cardoso, estava em estado de caduquice com suas opiniões “quase sérias” em defesa do impeachment de Dilma Rousseff, num claro desrespeito ao que reza as prerrogativas constitucionais da democracia. E muita gente que na política simplesmente apaixona-se por grupos ou indivíduos políticos sem nem ao menos compreender superficialmente o que os mesmos representam ideológica e politicamente, literalmente chegou ao limite da agressão verbal, escrita em comentários dos rodapés de sites que publicam minhas opiniões.

Porém como eu estava certo do que falava de que não procedia o discurso que o ex-presidente proferia para seus seguidores fiéis, nunca tive a preocupação de entrar no mérito da réplica, até porque a razão vem sempre antes das emoções tolas de leitores apaixonados do Jornalismo da Obediência. Fato comprovado da certeza de que minha opinião estava sempre certa, pelo menos para mim, foi a matéria recente do site infomoney sobre a nova opinião de FHC sobre o assunto em questão.

Segundo o site diante de uma plateia de banqueiros e investidores, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que defendia a saída da presidente Dilma Rousseff por qualquer meio (paraguaio ou hondurenho), reconheceu que o "impeachment ficou difícil agora"; mais do que isso, ele afirmou que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a quem o PSDB se aliou na conspiração golpista, é quem deve ser "impeachado"; para o tucano, tirar Dilma não é a solução; "Sem querer absolvê-la, mas não basta tirá-la e colocar outro, porque a condição está aí, o Congresso desse jeito", disse; FHC ecoa o discurso da colunista Eliane Cantanhêde, que, no fim de semana, afirmou que 'o impeachment subiu no telhado'.


Como ele por ter sido Presidente da República por dois mandatos, tornou-se uma espécie de “papa” dos tucanos, dando opinião sobre tudo e se colocando como assessor para assuntos políticos dos mesmos, utilizando especialmente jornais como Folha de São Paulo, Estadão e Globo, mudando sua opinião agora e reconhecendo que não existem mais condições políticas (já que juridicamente nunca houve) para um golpe político contra a democracia brasileira, tanto ele como Aécio Neves, José Serra e outros “pássaros das penas amarelas” ficam literalmente numa “saía justa” com a grande maioria de seus seguidores. 

Mas provavelmente alguns esquecem logo do assunto, porque eles têm a mídia familiar do Jornalismo da Obediência para mudar de assunto, e distribuir novas informações sobre pratos típicos regionais e extravagâncias da vida de atores globais, não esquecendo a mais nova versão do lixo cultural chamado “Big Brother!


Mas um fato coloca-se como certo diante dessa nova situação. Como não conseguiram maioria para estabelecer regras diferentes daquelas que são constitucionais, ficou claro para todos verem que eles estão mais perdidos do que "cego em tiroteio", e devem logo assumir a postura da construção de uma candidatura que os unifique para 2018, pois do contrário além da certeza que estão assumindo de que Dilma governa até o fim de seu mandato também correrão o risco de chegaram diante das urnas sem um nome e um projeto que convençam os brasileiros diante do desenho de golpistas que está se estabelecendo e se colando neles.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …