Contas de Aécio rejeitadas e a mídia calada

Por Genaldo de Melo
Quando falamos que parcela substancial da mídia brasileira do Jornalismo da Obediência, exatamente aquela coordenada por apenas poucas famílias do mundo empresarial das comunicações, exatamente aquela que em suas posturas tomou posição política clara em favor de apenas um grupo político, está literalmente trabalhando vinte e quatro de forma parcial contra a democracia brasileira, em que 54 milhões de cidadãos com direito a voto escolheram continuar com Dilma Rousseff, fica gente miúda e analfabetos políticos dizendo que estamos tomando partido como eles.

Ora, como não procurar denunciar os fatos de um jornalismo doentio que tenta imbecilizar toda a população com apenas um lado das informações? Desde que terminou as eleições de 2014 que o Jornalismo da Obediência tenta de todas as formas influenciar a opinião pública de que existem indícios, que depois de mais de um ano ainda não apareceram, de que tudo que for de Dilma Rousseff tem erros que devem ser punidos com a cassação dela, ou de sua chapa, ou mesmo procura induzir para que a população apele para a sua renúncia.

Como não denunciar que esse mesmo jornalismo está literalmente calado diante da rejeição das contas de Aécio Neves, seu “queridinho” tomador de dezoito anos, senador por Minas Gerais, mas que mora mesmo é na bela e rica Copacabana? gritaram e espernearam o quanto puderam contra Dilma Roussef, mas diante da rejeição das contas de campanha de Aécio Neves calaram-se todos.

Segundo o site Conexão Jornalismo, as contas da campanha do candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, foram rejeitadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que detectou pelo menos 15 irregularidades. Os erros vão desde a omissão de doações feitas por empreiteiras, como a Construtora Odebrecht, como irregularidades nos cálculos. A ministra Maria Thereza Assis Moura pediu explicações ao candidato que há meses vem criticando as pedaladas fiscais supostamente praticadas pelo governo de Dilma Rousseff. 

Pois é isso mesmo, todos calaram diante da gravidade da situação! Das 15 irregularidades detectadas pelo Tribunal, pelo menos três foram consideradas infrações graves. Elas dizem respeito a doações recebidas antes das prestações de contas parciais e que só foram registradas nas prestações finais, somando mais de R$ 6 milhões. O PSDB informou por meio de nota que já esclareceu ao TSE todas as dúvidas e ratificou os erros apontados pelo Tribunal. Segundo o partido, todas as doações foram registradas com os devidos recibos eleitorais, inclusive as da Odebrecht e Construbase, e as falhas detectadas são erros meramente contábeis. Mas porque foram rejeitadas então?


Se a Rede Globo, Estadão, Folha, Época e Veja não falam disso, nós temos que falar, não é mesmo Gilmar Mendes?

Comentários