Je ne suis pas Charlie Hedbo

Por Genaldo de Melo
Resultado de imagem para menino sírio morto na praia
Completando um ano após a carnificina patrocinada por fanáticos, que nada tem a haver com o verdadeiro Islamismo, nem com o Corão, contra o jornal francês Charlie Hedbo, o jornal se superou em maldade. Este que o mundo inteiro passou a admirá-lo pelo trabalho que sempre fez, dessa vez passou a ser rejeitado pelas maiores mentes do jornalismo mundial, bem como pela sociedade como um todo, pelo papel ridículo que fez por esses dias, publicando uma charge nojenta, no sentido mais literal da palavra, contra o menino sírio que morreu na praia, e que chocou o mundo todo. Na charge o jornal coloca uma versão do menino já adulto correndo atrás de mulheres alemãs para assediá-las sexualmente. Atitude essa que também chocou o mundo, pois em vez de primar pelo jornalismo sadio através de suas charges, o jornal primou pela vingança contra um povo que nada tem a haver com os fanáticos que assassinaram cruelmente seus jornalistas e chargistas, utilizando para tanto um menino indefeso, pois já está morto e enterrado. Atitude mesquinha e doentia! Brincar com a cultura e a religião dos outros num ato literalmente xenófobo não pode e não ser considerado coisa sadia e de gente normal. Por isso que eu não sou Charles Hedbo, como nunca fui!

Comentários