Professores de Pedrão receberão salários em oito parcelas

Por Genaldo de Melo
Resultado de imagem para imagens das mãos com dedo polegar para baixo
Tem gestores públicos que tratam seus munícipes como se estes fossem verdadeiras bestas amestradas, e em muitas das vezes brincam de tratar mal exatamente aqueles que na condição de formadores de opinião nos municípios não deveriam ser tratados dessa forma, porque como a história é a prova dos nove sempre o arrependimento vem depois.

Nesse sentido o caso mais absurdo dos últimos tempos vem do município de Pedrão, pois o prefeito Jacob Pereira da Silva (PSD) e seu Secretário Municipal de Finanças, Luís Eudes, resolveram que somente pagarão os salários dos professores/as de dezembro de 2015 e o Décimo Terceiro em oito parcelas. Repetindo, em oito parcelas!

É um verdadeiro disparate tratar os profissionais da educação dessa forma, pois comprova que se fazem isso com professores/as, imagine o que estes moços não fazem com os outros servidores/as municipais e com a população em geral. Isso é uma verdadeira vergonha! Isso é um crime de responsabilidade que ultrapassa os limites do que se pode considerar ponderável.

Segundo o site Alagoinhas Hoje em conversa com a coordenadora da APLB-Sindicato, Atanazia de Souza Campos, “pesquisas realizadas no portal do Banco do Brasil indicam que nos meses de novembro e dezembro de 2015 os repasses alcançaram R$ 3 milhões, contrariando os argumentos do Prefeito e do Secretário de Finanças” de que não existem condições para quitar os pagamentos dos professores/as, como deve obrigatoriamente ser.

Pelo que todos sabem os recursos da educação nesse país são "carimbados", não são recursos da arrecadação municipal, o que torna o assunto  de uma gravidade extrema e de aberração que ultrapassa a compreensão de quem não está envolvido no processo, e principalmente dos próprios professores/as.

É bom que os professores/as do município de Pedrão formem urgente opinião sobre a população local, e coloquem o povo nas ruas para que esse prefeito resolva os problemas de sua responsabilidade, e pare de vez de por falta de competência “planejada” deixar de terceirizar a prefeitura.

Se dialogando e respeitando os limites impostos pelas convenções sociais não se resolve os problemas, que as ruas de Pedrão possam resolver, e principalmente possam ajudar a desinfetar a cadeira do Paço Municipal no próximo 1º de janeiro de 2017.

Comentários