Mais uma vergonha na República das bananas

Por Genaldo de Melo
Minha foto
Mais uma vez a Câmara dos Deputados dá uma insofismável demonstração da falta de seriedade e compromisso com os trâmites éticos em nossa República. Mais uma vez o presidente daquela Casa, que deveria servir aos brasileiros e não aos interesses mais mesquinhos da politicagem, o senhor deputado federal Eduardo consegue achincalhar a todos, e colocar seus interesses acima dos interesses da nação brasileira.

Depois de tanta discussão e clara certeza de quebra de decoro parlamentar, bem como provas cabais de contas secretas com dinheiro nada limpo no exterior, tudo volta a estaca zero no Conselho de Ética no processo em discussão para cassação de seu mandato que não serve em nada para o país.

Parece brincadeira, mas enquanto todos os deputados estavam em suas bases, provavelmente em visitas e reuniões, porque é isso que os políticos com mandatos fazem em tempos de folga para não perder eleitores e lideranças chaves com votos, Eduardo Cunha parece que fez exatamente o contrário, procurando seus pares e articulando sua permanência num cargo que somente envergonha a nação brasileira perante o mundo, pois em qualquer outro lugar numa situação constrangedora em que o mesmo se encontra já deveria ter a hombridade de se afastar e deixar livre de sua presença na Câmara dos Deputados os brasileiros honestos e cidadãos cumpridores de seus deveres perante à Constituição Brasileira.

Mas em vez disso, mais uma vez seus aliados (que ninguém, absolutamente ninguém, consegue aceitar de bom grado essa feitiçaria que ele exerce sobre alguns de seus pares) conseguem oferecer no início do ano um dos melhores presentes que provavelmente e segundo regras elementares da ética ele não merece. O senhor vice-presidente da Câmara dos Deputados Waldir Maranhão (PP-MA), atendeu a um recurso impetrado pelo deputado Carlos Marun (PMDB-MS) que pediu vistas do processo, livrando-o nesse momento de ter que responder no Conselho de Ética sobre acusações já comprovadas publicamente.

A decisão de fazer o processo contra o deputado fluminense retroceder foi tomada por Maranhão ainda no dia 22 de dezembro, ou seja, antes ainda do início do recesso parlamentar. Mas apenas ontem (2) chegou ao Conselho de Ética da Câmara. No ano passado, o deputado maranhense causou polêmica ao destituir Fausto Pinato (PRB-SP) da relatoria da representação contra Cunha. A destituição de Pinato, que era favorável à cassação do peemedebista, também atrasou o andamento da representação contra Cunha.


É Cunha ficando livre de novo para provavelmente de novo começar chantagens e "feitiçarias", e enquanto isso ficamos todos os brasileiros apenas alimentados toxicamente com informações negativas apenas contra o ex-presidente Lula, que segundo a mídia do Jornalismo da Obediência, comprou um apartamento em Guarujá (que segundo provas ele não comprou, mas se quisesse compraria, até porque dinheiro para isso ele tem de sobra), e contra sua esposa que comprou um barco de lata e mandou para um sítio em Atibaia, como se isso fosse algum crime.

Que país é este que fica o presidente da Câmara dos Deputados mais uma vez zombando dos brasileiros, e ninguém toma uma providência política como se todos daquela Casa parlamentar têm medo desse único homem? A mídia deveria presentear os brasileiros não assassinando a reputação de Eduardo Cunha, porque ele não tem mais, mas pelo menos colocando mais em evidência a necessidade de tirá-lo daquela cadeira que toma as decisões na Câmara dos Deputados. O Brasil precisa disso!

Comentários