Pular para o conteúdo principal

250 motivos para os brasileiros sofrerem ainda mais

Por Genaldo de Melo
Movimentos paralelos e silenciosos devem estar ocorrendo em Brasília, bem coordenados para buscar uma solução plausível para que o pode ser um verdadeiro terremoto no mundo político ao final da delação premiada, pela empreiteira Odebrecht, através de seu presidente, Marcelo Odebrecht, e seus cerca de 50 executivos. Provavelmente cerca de 200 deputados e cerca de 35 senadores terão suas vidas políticas devassadas, até porque vai ser incontrolável que o silêncio reine na imprensa em tempos em que a internet e as redes sociais reinam absolutas.

Os mesmos movimentos paralelos devem estar secretamente construindo muros caso se concretize antes do tempo político esperado a cassação do deputado federal, Eduardo Cunha, principalmente depois que o delator Júlio Camargo, ex-presidente da Toyo Setal, afirmou ao Supremo Tribunal Federal que ouviu daquele que o mesmo sustentava cerca de 200 deputados.

O primeiro foco desses movimentos para resolver os nós górdios deve ser Eduardo Cunha. Numa articulada teia de artimanhas políticas, estão a todo vapor utilizando as brechas legais do regimento interno da Câmara dos Deputados para procrastinar ao máximo a fatídica sessão que poderá livrar o Brasil da nefasta condição de Eduardo Cunha como deputado federal. Quem manda no assunto em relação a data é Rodrigo Maia (DEM/RJ), presidente da Câmara dos Deputados, que anda se fazendo de ouvidos moucos, esperando calado que a Opinião Pública com ajuda do Jornalismo da Obediência esqueça também a importância de cassar Cunha, que ainda pode ficar calado como deputado no final da sala, lá prá bandas de novembro.

Para solucionar os problemas de deputados e senadores do listão da Odebrecht nada melhor do que trabalhar o conceito difuso dos termos que estão em moda no Brasil em tempos recentes. Ou seja, a idéia é fazer a distinção entre caixa-dois eleitoral e propina disfarçada de doação eleitoral. Se a mídia brasileira de novo convencer a Opinião Pública e ao povo, de que caixa-dois eleitoral não mais é crime, depois que propagou isso abertamente, e conseguir satanizar como osmose que as doações legais comprovadas na Justiça Eleitoral são resultados de propinas da Petrobrás e suas subsidiárias, então provavelmente os deputados e senadores por conta própria aprovarão suas anistias, enquanto que adversários do PT e aliados que se danem!

Desse modo, todos os políticos do listão da Odebrecht e do dossiê de Eduardo Cunha ficarão no capítulo do caixa-dois que provavelmente será santificado, desconstruindo o conceito de crime maior para crime menor consolidando assim os argumentos da anistia. E a propina como doação legal passará a ser crime de “lesa majestade”, coisa que foi feita somente pelo PT e seus aliados próximos.

Os movimentos paralelos nos bastidores de Brasília pensam em salvar seus amigos na forma de metáfora, separando o joio do trigo. Do lado do trigo quem recebeu caixa-dois ficará impune via anistia que ninguém sabe ainda como deverá ser perpetrada no Congresso Nacional ou no STF, e do lado do joio ficarão todos aqueles que a partir da tese do domínio de fato receberam doações legais, mas que devem ter tomado um banho de “sabonete”.

A pergunta que não quer calar: como esses deputados e senadores que querem anistia fez acordo (até agora) com 54 milhões de cidadãos brasileiros que votaram em Dilma Rousseff, e ninguém viu? É teste para cardíaco que acabem com a corrupção no Brasil com esses bêbados e discípulos de Tifon Baphomet?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A manipulação grosseira da Globo do Dia do Trabalho

Por Genaldo de Melo Dificilmente assisto a Rede Globo, porque além de não ter mais paciência, não concordo com a manipulação que ela faz com suas edições políticas contra a esquerda brasileira, e hoje definitivamente contra a democracia brasileira.
Mas confesso que ontem resolvi acompanhar o Jornal Nacional para ver que tipo de grosseria jornalística ela poderia fazer com esse Dia do Trabalho, em que parcela do povo ocupou às ruas em defesa de Lula e da democracia.
Simplesmente vergonhoso seu jornalismo da obediência, pois utilizou a maior parte do noticiário para sensacionalizar e sensibilizar a população sobre o incêndio em São Paulo, e manipulou sua edição com imagens que não mostraram a verdade das ruas no dia do trabalhador.
Não que não seja importante noticiar o incêndio do prédio paulista, mas porque descaradamente usou abusivamente do fato para esconder o óbvio de que os brasileiros ocuparam em massa as ruas do Brasil em defesa de Lula e em defesa da democracia.
Nos fatos ficou cla…

ACM Neto pode não ser mais candidato nas próximas eleições na Bahia

Por Genaldo de Melo Reza a cantilena popular que para bom entendedor meia palavra basta, de modo que não precisa ser muito inteligente ou até mesmo conhecer os bastidores do mundo político, para saber do dilema existencial por qual passa o prefeito de Salvador, ACM Neto, em torno da perigosa decisão que precisa tomar logo, porque o tempo como ele pensa e verbaliza não é tão grande assim, para se lançar como o nome das oposições ao governo do Estado da Bahia nessas eleições vindouras.
Basta somente dialogar com os fatos e analisar mais friamente as próprias palavras do prefeito em entrevista que concedeu na abertura do carnaval da capital baiana para se chegar a dolorosa e cruel conclusão de que ACM Neto não tem tanta certeza assim de uma provável vitória.
ACM Neto verbalizou nas entrelinhas que a decisão não é tão fácil assim como pensam seus aliados, até mesmo porque em se lançando candidato a governador e perdendo as eleições, ele ficará quatro anos sem mandato e sem a possibilidade e …

Sem Lula cidadãos conscientes continuam preferindo Manuela

Por Genaldo de Melo Caso não haja a possibilidade de Lula ser candidato à Presidente da República, muitos cidadãos brasileiros conscientes da importância de um representante que tenha mais a cara do povo brasileiro, e não o espectro dos interesses internacionais, ficarão órfãos para ter que escolher entre os postulantes de centro e de esquerda que estão se colocando a disposição das urnas.
Todos os nomes colocados até o momento que poderiam substituir Lula nas urnas não conseguiram ainda atingir os dois dígitos nas pesquisas eleitorais. Entre os mais bem colocados estão Ciro Gomes (PDT) e Joaquim Barbosa (este colocado aqui por ser provável postulante do “PSB”, mas muito complicado ainda do ponto de vista ideológico). Ainda em processo de construção da imagem estão Manuela D‘Ávila (PCdoB) e Guilherme Boulos (PSOL).
Em relação a Joaquim Barbosa, rumores dão conta que os verdadeiros socialistas estão se remoendo ainda para ter que aceitar aquele sujeito estranho, com mais interesse nos EUA…