5 ameaças para gangster nenhum botar defeito

Por Genaldo de Melo
O colunista do Cafezinho Bajonas Teixeira de Brito Junior, nos lembra em seu excelente texto de hoje que com esta última ameaça do deputado federal, Eduardo Cunha, dirigida na forma de parábola bíblica ao presidente interino, Michel Temer, imprime-se uma espécie de marca ritual do deputado.

Mensalmente, na forma que se pode esperar sempre, ele ameaça Michel, como nos filmes de Hollywood, ou como se estivesse apresentando as notas promissórias pelos serviços prestados ao colocar em xeque o governo de Dilma Rousseff, que até agora não se definiu provas de crimes de responsabilidades, a não ser as safadezas políticas de deputados e senadores contra a democracia brasileira.

O colunista lembra que a primeira ameaça do “Senhor dos Anéis” foi apresentada em matéria no Estadão de 20 de abril, que informava em detalhes as manobras de Cunha para minar a tentativa de Temer de ampliar seu poder de influência junto aos deputados na Câmara. A segunda ameaça veio em 08 de maio direta do Blog de Garotinho em que ele dizia “se eu for abandonado não vou sozinho para o sacrifício. É bom que se diga a Michel e a Romero que eu posso ser o início do fim de um Governo que nem começou”.

A terceira ameaça apareceu em 12 de junho (matéria de Brasil247), como presente de namorados brigados, quando Cunha disse que se cair levaria junto num grande abraço de afogados 150 deputados. A quarta ameaça aconteceu em 02 de agosto, quando o Estadão publicou matéria em que Eduardo Cunha aparece preparando um dossiê sobre seus aliados políticos.

Com o surgimento da quinta ameaça, surgiu a grande curiosidade sobre quem são os nomes colocados para Michel na forma metafórica da parábola do La Fontaine brasileiro, mesmo que cientificamente possamos deduzi-los. Com essa ameaça concluímos a falta de respeito desses dois imorais que ficam nesse jogo de governo e desgoverno ludibriando os brasileiros.

Como diz o próprio Bajonas estamos vivendo à mercê de uma nação de gângters, que podem brincar de jogo de poder a seu bel-prazer, porque as regras constitucionais estão podendo ser burladas, e o povo nada fazer a não ser ficar sendo intoxicado por informações carregadas de propaganda política, em vez de informações oriundas do verdadeiro jornalismo que tanto se faz necessário na nação de papagaios colonizados.


Com tantas ameaças feitas, e Michel Temer descaradamente não toma uma postura de homem, isso significa que ele não poderá governar caso derrube Dilma, porque provavelmente Eduardo Cunha escape da cassação, porque 200 e poucos deputados não vão aparecer no dia da sessão de cassação em setembro ou novembro que seja. 

Se Dilma cair como ele vai governar com um chantagista com um baú de promissórias para lhe cobrar mensalmente, e um PSDB carregado de desconfianças desse projeto secreto e torto do PMDB para 2018?

Comentários