A arte de ser imbecil de Aécio Neves

Por Genaldo de Melo
 
Aécio Neves (PSDB), candidato derrotado nas eleições de 2014 para a Presidência da República, e um dos responsáveis direto pelos últimos distúrbios políticos que literalmente pararam a nação brasileira, parece brincar de fazer política com seu discurso falso de querer agora pacificar as forças sociais para fazer o Brasil voltar a crescer, depois que ficou demonstrado que se Michel Temer assumir de fato a Presidência  vai colocar em pauta uma agenda totalmente conservadora para o país, de retrocessos em que os principais pontos será exatamente a retirada de direitos adquiridos.

Parece que ele acha que as forças progressistas da sociedade brasileira vão aceitar de bom grado “engolir de goela abaixo” todas as propostas que eles têm para o país, como num passado não muito longe que somente interessava aos 10% da população mais abastada economicamente. Aonde mesmo que a esquerda brasileira vai ficar quieta diante de um quadro extremamente desolador já iniciado pelo seu amigo, por enquanto, o “Mordomo de Filme de Terror”?

Na política ninguém estaciona, e para quem faz parte dela a prerrogativa e a obrigação agora é voltar a fazer política e defender exatamente as bandeiras de sempre em defesa dos direitos dos trabalhadores e da construção da democracia em frangalhos que eles estão deixando. Se Aécio pretende que a população brasileira ache que a esquerda brasileira está morta e que não vai mais fazer política, ele é um tremendo de um beócio, porque política está nas veias de muita gente que acha que o Estado brasileiro deve ser de todos e não somente desse povo de Copacabana e do Morumbi...

Ele que se prepare para a luta, porque o povo que compreendeu o que está acontecendo e que deverá ser os principais prejudicados com as ações que eles deverão colocar na prática vão para uma guerra sem limites nesse país, e não vai ter medo de repressões que é do caráter de sua forma de fazer política, e nem vai bater panelas, porque isso é coisa de quem não pensa e é teleguiado.


Ele deveria aceitar alguns conselhos, e o primeiro deveria aprender com o homem de Florença que ensina a ler a biografia dos grandes homens da política, especialmente a história de seu avô. Ele que não vá fazer política e ache que as forças progressistas e o povo vai ficar parado, que ele provavelmente perderá até mesmo a condição de brigar por sua cadeira na história em 2018 para o próprio Temer, ou Serra ou Meirelles. Morda meu dedo, que não dói...!

Comentários