Agosto de cruas verdades

Por Genaldo de Melo
Signo de LEÃO
Na história do Brasil o mês de agosto sempre reservou momentos surpreendentes e cruciais, principalmente no mundo político, e provavelmente este ano de 2016 será um dos anos que deverão ser lembrados durante muito tempo na própria história da política brasileira. Corações e mentes devem está suficientemente preparados para quatro grandes acontecimentos.

Em primeiro lugar deverá ser a volta mais uma vez sensacionalista com apoio da mídia do Jornalismo da Obediência da Operação Lava Jato, e deve ser crucial para a vida política de muita gente nesse país. Se o julgamento de Eduardo Cunha acontecer antes da votação do processo de impeachment de Dilma Rousseff no Senado e ele for definitivamente preso, como se especula, ele poderá apresentar o famoso dossiê, muito comentado pelos jornalistas do Estadão, Daiane Cardoso e Igor Gadella, que ameaça explodir tudo no Congresso Nacional e no colo de Michel Temer. Do mesmo modo, se a delações premiadas das empreiteiras Oldebrecht e da OAS virem logo à público, podem não somente selar definitivamente o destino de Dilma no processo de impeachment, como também colocar em cheque metade do Congresso Nacional, líderes partidários, ministros, e o próprio sistema político.

A cassação de Cunha, segundo grande acontecimento, é dada como certa, mais ainda brigam muito nos bastidores sobre a data, se antes do impeachment de Dilma ou depois. Rodrigo Maia já disse que quer colocar em pauta na segunda semana de agosto, mas quer que seja com a participação de todos os deputados. Enquanto isso, Geddel Lima luta para que seja depois de agosto com medo do que pode acontecer, inclusive com seu chefe caso haja vingança de Cunha. Este faz de tudo para adiar seu processo de cassação, ameaçando mundo e fundos, achando que ainda pode se salvar da areia movediça em que se meteu. O que se base mesmo é que Michel Temer não dorme mais sossegado, pois pode inclusive ter sido grampeado pelo Senhor dos Anéis.

Mas agosto revela o mais surpreendente, que é a decisão sobre o impeachment de Dilma Rousseff, que enquanto não encontram provas irrefutáveis de crime de responsabilidade, o relator do processo senador Anastasia diz que tem, e Michel Temer já assumiu na mídia internacional que de fato o julgamento da presidente é político e não jurídico, ou seja, que de fato trata-se de um golpe de Estado. Se aprovado o relatório do senador pela Comissão, que basta de maioria simples (41 dos senadores), o relatório vai para o julgamento do mérito no dia 29 de agosto, sob o comando do presidente do STF, Ricardo Lewandowski. A sessão poderá levar cinco dias e são necessários dois terços dos senadores para aprovar o afastamento definitivo de Dilma. Segundo todos os levantamentos a chamada luta de classes da política brasileira pode definir o segundo golpe de Estado no Brasil das últimas décadas.

O outro acontecimento grandioso do mês de agosto são as primeiras Olimpíadas no Brasil, que começam no próximo dia 05 do mês, com participação de aproximadamente 10 atletas de 206 nações do mundo, com mais de 50 mil agentes de segurança, espalhados pelas ruas e arenas esportivas para garantir a ordem, principal preocupação do Governo interino e do Comitê Olímpico. As imagens surpreendentes dos ensaios militares, as declarações desastrosas de ministros sobre a possibilidade de riscos de terrorismos, e a prisão de supostos terroristas transformaram  aquilo que pode ser uma grande festa do esporte mundial num contexto de filme de Alfred Hitchcock.


Como o mês de agosto foi na história palco de acontecimentos metafóricos e cruciais acontecimentos políticos, vamos esperar os resultados para os primeiros dias de setembro, e vida que segue depois!

Comentários