Caça às bruxas nas escolas brasileiras

Por Genaldo de Melo
lousa escola sem partido
Cada dia mais que se passa fico mais confuso com essa estapafúrdia história de Escola Sem Partido! Seus defensores propõem medidas como afixar cartazes em salas de aula para indicar e exigir o que os educadores devem abordar ou não no processo de ensino-aprendizagem, obedecendo à critérios do que acham que deve ser correto em matéria de proposta pedagógica.

Ou seja, pais que se dizem moralistas, exatamente os que defendem a tal Escola Sem Partido, estão literalmente propondo que eles é que devem apresentar as pautas pedagógicas que os professores devem ou não ensinar. Quem desobedecer vai ser denunciado na Secretaria da Educação e ao Ministério Público.

A justificativa da proposta reza o seguinte: é fato notório que professores e autores de livros didáticos usam aulas e obras como meio de obter adesão dos estudantes à determinadas correntes políticas e ideológicas (na lei é claro, de esquerda!), fazendo com que eles adotem padrões de julgamento e de conduta moral, especialmente moral sexual, incompatíveis com o que lhes são ensinados pelos pais ou responsáveis.

Está claro que a proposta nas entrelinhas quer é acabar ou complicar a carreira dos professores sérios e comprometidos, porque ninguém é unanimidade na escola ou em sala de aula, ou em lugar nenhum, então todos os dias nas escolas vão aparecer denúncias contra qualquer um, por qualquer motivo.


Essa é minha confusão! Então com a aprovação de uma tal Lei como essa, estará dada a largada a uma verdadeira caça às bruxas nas escolas brasileiras? Preciso de respostas mais diáfanas para compreender! 

Comentários