A sensacional arte de roubar para corromper os cidadãos e ter garantido o poder político

Por Genaldo de Melo
Um mal difícil de ser extirpado, talvez quase impossível, é a corrupção. Por mais discursem bonito pretensos combatentes desse mal imprimido na natureza humana, por mais que se crie instrumentos ditos infalíveis, por mais que se organize brigadas do bem para tenta combatê-la, de nada por enquanto tem adiantado. Como se combate o mal da corrupção, se ela começa já no processo eleitoral para escolha, principalmente dos chamados santos políticos que esbravejam contra quem rouba o dinheiro público, mas os próprios corrompem os eleitores?

Como combater a corrupção se o próprio eleitor já é corrupto no ato de comercializar seu voto? Para comprar votos de cidadãos honestos que vivem reclamando dos corruptos, mas se corrompem, é necessário que se tenha dinheiro, e como dinheiro não é fácil de ganhar trabalhando pouco, então para comprar o voto tem que ser através de dinheiro roubado. Então temos uma classe política de ladrões, porque tem cidadãos que se prestam ao papel de outorgar através de seu voto comercializado sua representação nos piores ladrões da República.

Quando os honestos se arvoram no direito de vencer eleições, naturalmente pelo mal que existe advindo da corrupção, não passam de um mandato político. Ou ele rouba o dinheiro público para manter o ciclo vicioso da manutenção de legiões de cidadãos que vendem seus votos, para repetir o discurso dos chamados “honestos” depois, de reclamação e do grito contra os corruptos, ou ele vai ser sempre o homem ou a mulher de apenas um, ou no máximo dois mandatos. Porque sem dinheiro para corromper o eleitor ninguém vai a lugar nenhum.

E a cada dia que se passa por incrível que pareça, os próprios cidadãos que são corrompidos são mais e mais iludidos de que a corrupção vai acabar. Mas acabar como se os próprios corruptos são exatamente aqueles que conseguem convencer de que em nome do combate à corrupção, são eles que devem assumir para acabar com a mesma? 

Exemplo disso está para todo mundo ver, pois derrubaram Dilma Rousseff e nada até o momento se descobriu de crime de corrupção contra ela, e assumiu um grupo de “santos cidadãos”, que a cada dia que se passa, mais e mais crimes de corrupção são colocados diante dos olhos dos cidadãos, e nada acontece porque a corrupção metafisicamente tem alma própria para rir da solidão do cidadão que pode a qualquer momento ser corrompido.


Como a corrupção é um mal complicado e difícil de ser extirpado da nossa sociedade humana, ela sempre vai ser naturalmente a premissa e o pretexto para os discursos mais bonitos de todos aqueles que sempre vão se eleger para de novo roubar e corromper para manter o miserável circulo infernal e vicioso de tudo o que não presta, mas sabe governar politicamente a natureza humana comprando votos.

Comentários